Foxconn e outras parceiras da Apple também declaram guerra contra a Qualcomm

Apple e Qualcomm estão numa briga ferrenha. Nos Estados Unidos, a Apple se deu bem — até o momento — e pode continuar vendendo seus iPhones sem se preocupar com um banimento; na China, porém, a história é outra e a Apple perdeu a batalha por lá, sendo impedida de vender alguns modelos no país — algo que ela resolveu — na teoria — com uma atualização de software.

Mas vamos voltar um pouco nessa história: quando essa disputa estava lá no começo nós informamos que, enquanto essas duas gigantes brigam, a Apple decidiu parar de pagar os royalties à Qualcomm por meio das suas parceiras. Isso porque, como explicamos, a Apple repassa esse pagamento para as suas fornecedoras (Foxconn, Pegatron, Wistron e Compel) que, por sua vez, pagam à Qualcomm. Esse movimento da Apple e das suas parceiras fez a Qualcomm abrir um processo por quebra de contrato.

De um tempo para cá, o CEO da Qualcomm insiste na ideia de que o conflito judicial entre Apple e a sua empresa estaria perto do fim e que um acordo sairá em algum momento não muito distante. Pois bem: a Apple já veio a público dizer que nada disso é verdade e que não há conversas acontecendo; agora foi a vez das parceiras da Maçã de falar.

De acordo com Ted Boutrous (advogado/sócio do escritório Gibson, Dunn & Crutcher, que representa todas elas nessa disputa), não há conversas para um acordo e todas estão se preparando para o julgamento que acontecerá em abril.

Da mesma forma que a Qualcomm processou as fabricantes, elas também processaram a Qualcomm alegando práticas anticompetitivas por cobrar alto pelos chips e também por um percentual nas vendas dos aparelhos (royalties sobre as patentes utilizadas). Juntas, elas querem US$9 bilhões em indenizações da Qualcomm por royalties supostamente ilegais — esse número, porém, poderá triplicar(!) se os fabricantes forem bem-sucedidas em suas reivindicações.

Enquanto isso, a Apple vai contratando especialistas na área e muito provavelmente se prepara para, em algum momento no médio prazo, lançar o seu próprio modem para iPhones.

Definitivamente, a Qualcomm arrumou uma bela de uma dor de cabeça. Continuaremos acompanhando de perto essa história.

via Reuters

Posts relacionados

Comentários

15 comments

  1. Pode ser, mas não é também subestimar que ninguém pode chegar nas mesmas descobertas ou ter a mesma genialidade. Por exemplo, Santos Dumond e irmãos Wright não chegaram na mesma descoberta? E Aberte Einstein e Friedrich Hasenöhr não chegaram na mesma equação? E Roberto Landell e Reginald Fessenden? Andreas Pavel e a Sony? Padre Francisco de Azevedo e Henry Mil? Não acho difícil que a Apple ou outro empresa consigam faze igual ou superior a Qualcomm, por conta própria.

  2. Off topic: alguém sabe pq o macOS é muito pior que o Windows em relação a jogos? É só por otimização do jogo ou tem algo relacionado ao sistema em sí? Obrigado

  3. Acredito que não, pq quando a Apple decide fabricar o produto, ele tem que ser igual ou superior ao que tem no mercado, e ela não ia se queimar justamente em um dos principais itens do aparelho.

  4. A Qualcomm é provavelmente a empresa que mais possui conhecimento em transmissão de dados sobre rádio frequência, desde de muito cedo vem liderando nesse setor, a Q fabricou chipsets para todos os tipos de modems, desde caseiros a modems para satellites, nessa industria sempre foram lideres, nunca seguidores, lá atrás tentaram fabricar aparelhos e fracassaram, e aí botaram todo o foco nisso, inventaram novas maneiras de aumentar a eficiência dos radio transmissores, criaram novas técnicas de filtragem e processamento de sinais digitais, e sempre empurraram a barra prá cima, nunca deixaram de registrar tudo em patentes próprias e comercialmente arracaram o couro dos fabricantes com preços altos e cobrança de lucros de produtos vendidos, essa grana toda foi bem usada em pesquisa e desenvolvimento, por isso seus produtos (de radio transmissão) são o estado da arte, em meu ponto de vista nós os consumidores finais ganharíamos muito se nessa bagunça toda a Q perdesse sua insaciável fome de altos lucros, mas também perderíamos todos se ela quebrasse no processo, todos os outros são seus seguidores, mas não inovadores como eles, e provavelmente a Q esta certa em dizer que a maça tem repassado informação proprietária Q para a Intel, historicamente a Intel nunca foi boa nisso, se esta melhorando bastante deve estar recebendo “cola” da Apple.

  5. Esse buraco é “BEM MAIS EMBAIXO” e se a maça se decidir a entrar nisso vai tomar uns bons anos até conseguir produzir produtos decentes no mercado, liderar é um outro papo, mesmo contratando boas cabeças existiram muitas patentes para licenciar, e muita pedra prá quebrar, veja a intel que vive de produzir chips, só esta indo melhor porque esta recebendo “ajuda” da Apple, mas mesmo assim tem produtos medianos.

  6. Pelo jeito vão ficar com a MediaTek. Porque os modems da MediaTek chegaram no mercado só em 2020, segundo a empresa. Que é no mesmo ano em que a Apple planeja lançar os novos iPhones com 5G. Coincidência? Eu acho que não.

  7. O macOS usava aceleração gráfica através da biblioteca OpenGL até pouco tempo e atualmente usa Metal, enquanto que o Windows usa o DirectX. Os jogos costumam ser desenvolvidos com o Windows como plataforma principal e depois são “convertidos” para macOS o que já é um pênalti grande na performance. O segundo quesito que pode influenciar são os drivers: no macOS eles são produzidos pela Apple enquanto que no Windows fica a cargo do fabricante dos componentes, que dessa forma pode otimizar eles por conhecer o hardware melhor. Há também uma coisa que já li em alguns lugares, mas esse não posso confirmar: o Windows é mais permissivo quando um software solicita acesso direto ao hardware (GPU, memória, VRAM, etc) e isso, apesar de menos seguro, permite maior performance.

  8. Pode ser, mas não é também subestimar que ninguém pode chegar nas mesmas descobertas ou ter a mesma genialidade. Por exemplo, Santos Dumond e irmãos Wright não chegaram na mesma descoberta? E Aberte Einstein e Friedrich Hasenöhr não chegaram na mesma equação? E Roberto Landell e Reginald Fessenden? Andreas Pavel e a Sony? Padre Francisco de Azevedo e Henry Mil? Não acho difícil que a Apple ou outro empresa consigam faze igual ou superior a Qualcomm, por conta própria.

Deixe uma resposta