Em entrevista, DJ Zane Lowe defende que o Apple Music está “só começando”

Não é novidade que o Apple Music está crescendo a passos largos (assim como o restante do mercado de streaming) e poderá se tornar uma das maiores fontes de receitas da Maçã nos próximos anos.

Ainda que a briga entre o Apple Music e o Spotify pelo maior número de assinantes pagos continue sendo liderada pela empresa sueca, o serviço da Maçã vem logo atrás e, em 2018, diminuiu a diferença de assinantes pagos nos Estados Unidos e no Canadá para menos de 1 milhão de pessoas, conforme divulgado pelo The Globe and Mail1.

Assinantes nos EUA e no Canadá

De acordo com o relatório, o serviço da Maçã conta com 27,6 milhões de assinantes pagos nos EUA e no Canadá, enquanto sua rival sueca fechou o último ano com 28,2 milhões de clientes nesses países. Em entrevista para o jornal, o DJ e apresentador da rádio Beats 1, Zane Lowe, atribuiu tal crescimento, em parte, à influência digital da Apple.

Nós somos, na verdade, a fusão de arte e tecnologia. Toda vez que há uma mudança significativa na distribuição da era digital, ela passa pelo ecossistema da Apple.

Quanto ao fato de que o Spotify ainda lidera o número de assinantes nos EUA e no mundo, Lowe defendeu que o Apple Music está “apenas começando” e que o serviço está disponível apenas há 4 anos (enquanto o Spotify existe há 12) no que ele acredita ser uma “longa era do streaming“.

De acordo com o analista Mark Mulligan, o crescimento do Apple Music não depende apenas da melhoria dos recursos do serviço, mas também da sua visibilidade. Segundo ele, a companhia poderia incluir assinaturas do serviço na compra de um dispositivo da Maçã, por exemplo.

Mulligan afirmou, ainda, que os artistas deverão usar mais o serviço da Apple e do Spotify para contornar contratos restritos de gravadoras e alcançar ainda mais ouvintes. Nesse sentido, ele apontou que o Apple Music desempenha um papel fundamental na carreira de alguns artistas, como o caso do cantor e compositor independente canadense Daniel Caesar, cuja canção “Get You” estreou no programa Beats 1 em 2016, garantindo ao artista três nomeações ao Grammy.

A briga é boa.

via 9to5Mac

Posts relacionados

Comentários