Apple teria cortado em 10% a produção dos iPhones

Como se não bastassem os relatos da redução na fabricação de iPhones no fim do ano passado, o Nikkei informou hoje que a empresa teria cortado agora a produção dos novos gadgets em até 10%. E tem mais: isso seria válido para todo o primeiro trimestre de 2019.

De acordo com o relatório, a Apple teria notificado suas fornecedoras da redução de pedidos dos iPhones XS, XS Max e XR no fim do mês passado. Embora o corte na produção de cada modelo não tenha sido divulgado, um funcionário da companhia disse que esse número é uma média e que a redução dependerá de qual modelo as fabricantes estão produzindo.

Nesse sentido, a projeção é que a produção de iPhones fique em torno de 40 a 43 milhões de unidades para o trimestre vigente, abaixo dos 48 milhões de dispositivos previstos anteriormente. Realmente, esse é um cenário preocupante para a Maçã, no qual a Counterpoint Research já registrou uma queda de 20% nas vendas.

Culpa da China?

Sabemos que a venda de iPhones não baterá recordes no primeiro trimestre fiscal de 2019 da Apple, principalmente após a divulgação da carta de revisão das receitas. Nessa publicação e em uma entrevista dada à CNBC, o CEO1 da companhia, Tim Cook, atribuiu a queda à China — em parte, à guerra comercial entre o país e os Estados Unidos, apesar de defender que o iPhone XR tem sido um sucesso desde o dia do seu lançamento por lá.

No entanto, o secretário de comércio dos EUA, Wilbur Ross, também foi entrevistado pela CNBC e contou que as atuais dificuldades da Apple “não têm nada a ver com as tensões comerciais na China”.

@SecretaryRoss sobre alerta da $AAPL: “Não acho que os lucros da Apple tenham tido algo a ver com as atuais negociações comerciais”.

Ross admitiu que as tarifas e negociações comerciais impactaram negativamente a economia chinesa, mas lembrou que, apesar da possibilidade, os produtos da Maçã não foram tarifados durante as sanções dos EUA contra a China e que, por isso, ele não acredita que exista uma correlação entre a baixa venda de iPhones chineses e a guerra comercial.

Os comentários do secretário seguem a linha de pensamento defendida pelo presidente americano, Donald Trump, que defendeu na semana passada a ideia de que empresa “irá ficar bem” e que a $AAPL se valorizou bastante sob o seu governo.

via 9to5Mac, AppleInsider

Posts relacionados

Comentários

14 comments

  1. Na torcida para que vá cortando cada vez mais, até que, quem sabe possam começar a imaginar que o problema possa ser o $$$.

  2. A Apple não reduz os preços para não abalar ainda mais os investidores- seria visto como desespero da empresa.

    Agora, os descontos promovidos em alguns países poderiam ser aplicados no Brasil.

    A tendência para os lançamentos deste ano será de preços mais próximos da realidade Mundial, em especial para a linha dos IPhones.

    Quem sabe nosso País não será contemplado com preços bem menos indecentes?

  3. Ela não vai baixar os preços nas lojas dela, mas alguns parceiros estão negociando mais barato, que eu vejo como uma forma de baixar o preço mas sem assumir que fez isso.

    Agora, quanto à fala do Secretário… Claro que ele não vai dizer que a culpa da crise na Apple é por causa de um problema que o próprio governo criou…

  4. Tudo temporário. Aí fim do ano ela lança o iPhone 12 com descontos de $100 dólares e mega ultra blaster revolucionário (sqn) e aí explode de vender e ai tudo continua como sempre foi.

    Eu nem acredito mais em preços baixos da apple. Não tem nada barato.

    Se da pra sonhar com preço baixo seria com o dólar, q caindo automaticamente cairia os valores dos produtos aqui no Brasil

Deixe uma resposta