Apple estaria oferecendo descontos em iPhones na China; Foxconn tem queda nas receitas

Que a situação do iPhone não vai nada bem, todo mundo já sabe. A notícia mais recente acerca dos smartphones dá conta do fato de que a Apple teria reduzido em cerca de 10% a produção dos aparelhos. Agora, um relatório do National Business Daily trouxe mais uma novidade que mostra a preocupação da Apple com o desempenho dos aparelhos.

De acordo com a reportagem, a Maçã teria autorizado revendedoras suas na China a oferecer descontos no preço dos iPhones mais recentes como forma de atrair consumidores. O corte mais drástico autorizado pela Apple seria no iPhone XR, com um desconto de CN¥450 (ou aproximadamente R$250); outros aparelhos, como o XS e o XS Max, também teriam cortes em torno de CN¥400 (cerca de R$200).

É bom notar que a redução ainda deve ser tratada como rumor, uma vez que apenas algumas revendedoras da Apple se pronunciaram sobre o assunto e a Maçã não emitiu nenhum comunicado oficial sobre a questão. Quando se trata da muralha chinesa, é difícil confirmar as informações assim tão facilmente, mas é quase certo que ainda surgirão notícias sobre isso.

Foxconn

Ainda em território asiático, uma das principais parceiras da Apple parece ter sentido o baque dos iPhones — mostrando que as consequências da queda dos smartphones da Maçã vão além, muito além de Cupertino.

Foxconn

Como informou a Reuters, a Foxconn relatou uma queda de 8% nas suas receitas de dezembro passado. Isso representa a primeira retração do faturamento da empresa em 10 meses e tem a Apple e os iPhones como principais culpados, porém não únicos — a demanda do setor de eletrônicos como um todo está desacelerando e outras parceiras da Foxconn também têm enfrentado problemas.

Como declarou uma representante da fornecedora:

A principal razão para isso [a redução nas receitas] é que a queda na categoria de eletrônicos para o consumidor final foi bem forte.

Apesar disso, nem tudo está totalmente negativo para a Foxconn: numa perspectiva anual, as vendas da empresa em 2018 cresceram 12,5% em relação a 2017. Fica agora a questão de como elas ficarão em 2019…

via AppleInsider, MacRumors

Posts relacionados

Comentários

13 comments

  1. Olha, eu acho que a Apple não vai abaixar significativamente o preço dos iPhones.
    Esses descontos que estão rolando por aí ainda não são suficientes para os desclassificarem como “excessivamente onerosos”.
    Então, eu acho que o sofrimento financeiro dela está apenas começando. E só vai melhorar após o lançamento dos novos iPhones, se não queimarem a nova linha como fizeram com os atuais.

  2. Chiiii….
    Me veio à lembrança, a era dos iPods, da sua egemonia à queda gradativa para os iPhones. E agora o iPhone começa a sentir as pernas e o peso do tempo e a pressão da concorrência. Aqui em Portugal, tem tanto telemóvel barato €199,00 até os mais caros €399,00 e €749,00 que se for ver não sobra nenhum espaço para a demonstração do iPhone. Ah tá!!!

    Até os Macs e MacBooks já não estão lá essas coisas. E o iPad que é anunciado como substituto do computador, não decola por falta de funcionalidades, de um iOS mais parrudo e com uma interface mais profissional. Diga-se: Quando vão liberar para totalmente aquele conector USB-C ???

    Quem vai subsistir esse velho revolucionário? O Apple Wacht? O Apple Car? Alguém tem que entrar na fila para salvar Cupertino e suas macieiras? A espacionave já está pronta agora tem que decolar e botar o cinturão da distorção da realidade para gerar novos Gadgets.

    Diga-se de passagem: cintas para cama e headphones não deveriam ser uma prioridade, né???

  3. Esse iOS capado no iPad que se diz o sucessor do computador nunca me deixou entender nada… Vejo as keynote e pessoas falando que conseguem trabalhar 100% com o iPad me fazem pensar que ou meu trabalho está errado ou em que tipo de trabalho elas estão hehe

  4. Brasileiro é o louco do boleto. Se a Apple conseguir criar um plano de financiamento em 24 ou até 36 vezes com algum banco daqui vão vender horrores. O que faziam nos EUA de subsídios de operadora terão que fazer no Brasil com financiamento bancário.

    O phones 4500 financiado em 24 de 250.

  5. Olha o lixo que a Apple virou: logo logo o iPhone XI vai estar por aí e vc ainda encontrará os iPhones 6, 7 7 plus, 8, 8 Plus, e o X vendendo….todos novos……sem contar os encalhados da última geração. A Apple perdeu o bonde…..e agora vai focar em serviços dos quais muitos não funcionarão aqui no Brasil, principalmente a parte de TV.

  6. É difícil se introduzir em um mercado que não tem dependência do iOS com um telefone horroroso de bordas grossas. Põe o XR ao lado de smartphones top de linha chineses, com bordas bem menores e design frontal mais bonito… o XR Toma um pau e parece um celular falsificado. Eu mesmo, reconheço que se não fosse o iOS, cogitaria em abandonar a Apple. Ainda acho o XS lindo, mas se eles não diminuirem o notch(proporcionalmente) e um pouco das bordas, ele vai parar no tempo. Os concorrentes estão avançando muito em questões de design..

  7. A Apple surpreenderia a todos se nesse próximo ano lançasse a nova linha de iPhones com preços Realmente baixos(e convenhamos que ela consegue)

    Todos gostam do iPhone, é fato. E todo mundo quer ter a novidade, mas mesmo essas pessoas perceberam que a relação Preço x O que é oferecido não vale mais a pena.

    Sempre falo aqui e não canso de repetir: Tem outras empresas por aí entregando mais recursos do que a Apple nos aparelhos e por preços infinitamente menores. Para o azar da Apple as pessoas estao começando a olhar em volta e percebendo esse tipo de coisa.

    Eu acho que o iPhone é mais um fenômeno cultural do que qualquer outra coisa. A marca vem antes da produto. Acho engracado ver como algumas pessoas preferem ter um iPhone mais antigo ao tentar algo mais novo, com mais recursos e infinitamente melhor só porque não é da Apple(e ainda pagam mais caro por esse iPhone antigo).

    Vamos acompanhando pra ver até quando a Apple vai conseguir vender a marca ao invés de vender o produto…parece que não por muito tempo.

  8. A Apple devia baixar o preço dos iPhones ao redor do mundo, não só na China. Ela precisa investir em mercados como o Brasil, que tem dinheiro mas precisa de estímulos pra gastar.

    A maioria da população não consegue bancar um iPhone Xs, que dirá todo ano. É preciso rever toda a logística brasileira pra tornar o iPhone mais barato. Ele não vai ficar super barato, mas se conseguissem enxugar uns 2 mil já estaria bem bom. Junto a um dólar mais estável teríamos preços mais justos e isso serve pra todos os produtos. É um absurdo um AirPod custar 1300 reais.

    Tudo pode ser resolvido, só depende da Apple fazer essas otimizações e parar de querer ter o mesmo lucro em todos os países, principiante os emergentes. Pega até mal ela dar tanta ênfase pra China e esquecer dos outros países, cm esses abonos.

  9. Não adianta né, a Apple faz de tudo mas não faz o certo que é abaixar o preço dos reparos e dos novos produtos…

Deixe uma resposta