Apple trocou 11 milhões de baterias em 2018, quase 6x mais que o normal

O programa especial de substituição de baterias de iPhones acabou no dia 31 de dezembro e, com ele, os preços para tal reparo voltaram a subir. Durante a “promoção”, a Apple efetuou 11 milhões de reparos de baterias, como divulgou John Gruber do Daring Fireball.

A informação foi revelada pelo próprio CEO da Apple, Tim Cook, durante a reunião interna com os funcionários da companhia para discutir o momento ruim do iPhone. Cook disse ainda que, durante um ano normal, a Apple substitui entre 1-2 milhões de baterias — ou seja, 9 milhões a menos que no ano passado.

Se você acompanhou os acontecimentos deste início de ano envolvendo a Apple, então se lembrará que tal reunião interna aconteceu à luz da carta de revisão dos resultados financeiros da empresa para o primeiro trimestre fiscal de 2019, na qual Cook descreveu alguns fatores para as baixas vendas de iPhones.

Entre questões comerciais envolvendo os Estados Unidos e a China, o CEO também citou o programa de substituição de baterias como um dos responsáveis pela queda nas vendas de novos iPhones. Contudo, como defendido pelo ex-Apple Jean-Louis Gassée, a empresa sabia que o programa afetaria o número de substituições de baterias, mas pode ter subestimado o impacto dessa ação — principalmente após o anúncio dos novos iPhones, em setembro passado.

Em outras palavras, muitos consumidores podem ter esperado as novidades da Apple para decidir entre comprar um dos novos iPhones ou aderir ao programa de substituição de bateria para manter o seu aparelho por mais um tempo. Não obstante, Gassée contrapôs a ideia defendida por Cook na carta para investidores (que o programa de substituição de bateria tenha influenciado na queda de US$7 bilhões na receita da companhia), já que o programa começou durante o primeiro trimestre fiscal de 2018.

Posts relacionados

Comentários