Mais uma vez, App Store fechou o ano lucrando o dobro do Google Play

Mais um ano se foi e mais uma vez temos nas mãos estatísticas sobre as duas principais lojas de aplicativos do mundo. A parte boa é que, mesmo com a crise no setor de smartphones, as lojas continuam navegando de vento em popa — especialmente a App Store, como informou a Sensor Tower em seus relatórios mais recentes.

Estatísticas de 2018 das lojas de aplicativos, Sensor Tower

Ao longo de 2018, usuários de smartphones do mundo inteiro baixaram nada menos que 100 bilhões de aplicativos na App Store e no Google Play, com a loja de Mountain View capturando mais de 3/4 desse total — foram registrados 75,7 bilhões de downloads nos apps para Android. O que não chega a ser surpreendente, considerando que o sistema do robozinho tem uma fatia muito maior do mercado de dispositivos móveis do mundo.

Estatísticas de 2018 das lojas de aplicativos, Sensor Tower

Ainda assim, como é de costume, a App Store superou com folga a concorrente quando a métrica é dinheiro. A loja da Maçã gerou uma receita de US$46,6 bilhões, quase o dobro em relação aos US$24,8 bilhões gerados pelo Google Play. Esta cresceu mais, entretanto, com uma receita 27,3% superior em relação a 2017 — a App Store cresceu 20,4%.

Boa parte desse lucro vem de jogos: na App Store, US$33,2 bilhões da receita total vieram dos games — no Google Play, esse número ficou em US$21,5 bilhões.

Estatísticas de 2018 das lojas de aplicativos, Sensor Tower

A Sensor Tower registrou também os apps mais baixados do mundo, mais uma vez consolidando a popularidade do WhatsApp como principal produto do Facebook. Curiosamente, no iOS ele ficou em terceiro lugar, perdendo para o TikTok e o YouTube. Em jogos, Helix Jump e PUBG Mobile dividiram a liderança, com outros velhos conhecidos pintando no ranking.

Estatísticas de 2018 das lojas de aplicativos, Sensor Tower

Em termos de receita, embora o Tinder tenha levado a coroa no Google Play, o Netflix foi o campeão geral — o que certamente não há de se repetir em 2019.

Estatísticas de 2018 das lojas de aplicativos, Sensor Tower

A Sensor Tower alerta que, dependendo dos números do mercado de smartphones neste início de 2019, os resultados das lojas de aplicativos poderão sofrer, também, um leve abalo. Apesar disso, a comunidade de desenvolvedores já criou um nível de solidez que torna muito difícil qualquer tipo de crise num mercado tão pujante — ou ao menos assim esperamos.

via Cult of Mac

Posts relacionados

Comentários

12 comments

  1. Quem sabe essa notícia não acalme a bacurinha das mídias sensacionalistas que dizem que a Apple está cortando verbas disso e daquilo. E com isso não estou dizendo que não foi bom os novos iPhones terem tido uma queda nas vendagens, só não concordo com sensacionalismo barato.

  2. Porque não existe corte de verbas de projetos, isso é puro fake news.
    Não é porque houve uma queda nas vendagens do iPhone, que isso quer dizer que a Apple está falindo ou mesmo que os novos iPhones foram um fracasso comercial.
    É somente click bait de site.

  3. Mas a AppStore não é nada perto da receita de 70% da Apple que vem dos iPhones. É parte dos 30% da receita, onde entram Macs, e serviços. Isso aí não interfere no humor dos investidores.

  4. Como eu sempre comento quando eu vejo esse tipo de matéria, o maior mercado de apps do mundo é a China, onde o Google Play é completamente irrelevante. É importante frisar que a App Store representa a totalidade do gasto com apps no iOS, enquanto a Google Play não, na China outras lojas dominam o mercado e no resto do mundo existem outros competidores dentro do OS (ainda que insignificantes quando comparados à Google Play).

  5. O maior problema da Play store é o controle de qualidade. ele pode ter ate o dobro de apps da App store mas 80% é um lixo mal feito que não serve pra nada

Deixe uma resposta