Ações da Apple retornam ao patamar em que estavam antes da carta de Tim Cook

No dia 2 de janeiro, após o fechamento da NASDAQ, Tim Cook escreveu uma carta para investidores reconhecendo vendas de iPhones abaixo do esperado e ajustando as expectativas da receita da Apple para o seu primeiro trimestre fiscal de 2019.

Obviamente, as más notícias não foram recebidas com champanhe em Wall Street. No dia seguinte (3/1), a $AAPL despencou 9,96% e fechou em US$142,19 — menor patamar desde julho de 2017.

Agora, três semanas depois (e ainda antes da conferência de divulgação dos resultados financeiros de fato, que será na próxima terça-feira), a $AAPL retornou ao patamar em que estava antes da publicação da carta do seu CEO. Ela fechou no dia 2/1 valendo US$157,92; hoje, após uma alta de 3,31%, está agora cotada a US$157,76.

Apesar da bela recuperação, a Apple continua como a quarta empresa de capital aberto mais valiosa do mundo. Nos valores de hoje:

  1. Microsoft: US$822,8 bilhões
  2. Amazon: US$816,7 bilhões
  3. Alphabet: US$761,4 bilhões
  4. Apple: US$746,2 bilhões

No final das contas, parece que a antecipação dos resultados ruins foi boa para a Apple. Analistas não terão nenhuma surpresa negativa na semana que vem e a $AAPL não tem nenhum motivo para cair novamente.

Outro fator que deve ter ajudado nessa percepção em relação aos resultados da Apple foi que outras gigantes de tecnologia também divulgaram resultados financeiros abaixo do esperado para o período, incluindo Samsung, LG e Intel.

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários