Vagas para especialistas em streaming de mídias saltam na Apple

Basta conectar os pontos para entender que a Apple está deixando tudo pronto para o lançamento do seu aguardado serviço de streaming de vídeo: na semana passada, comentamos a atualização do app TV que permitirá aos usuários assinar conteúdos de terceiros (e, provavelmente, o próprio serviço da Maçã); agora, vagas abertas para o seu IMG1 atingiram um pico no primeiro mês do ano, como divulgou o Thinknum.

Vagas para o grupo de mídias da Apple

De acordo com os dados compilados pela firma de análise, o número de vagas para o grupo de mídias da Apple subiu para 42 após vários meses estagnado. A gigante de Cupertino informa que o IMG é “responsável pela criação de tecnologias de reprodução de mídia, vídeo sob demanda e transmissão ao vivo” através dos seus produtos (iOS, macOS, tvOS, etc.)

O Thinknum destacou ainda que, apesar de a indústria de conteúdo em vídeo ser dominada por grandes empresas como a Netflix e a Amazon, o ecossistema de dispositivos da Apple é forte e possui uma ampla base de clientes, o que ajudará (e muito) a companhia no lançamento e na manutenção do seu próspero serviço de streaming.

Se a Apple conseguir empurrar uma fração dos seus 360 milhões de assinantes [do iCloud e/ou do Apple Music] para o seu serviço de streaming de vídeo, ela sairá muito, muito bem posicionada.

Vagas relacionadas com "streaming"

Analisando com mais cuidado a lista para empregos que possuem streaming no nome ou na função, é possível verificar uma variação positiva nos últimos meses do número de vagas de funcionários que ajudam (e ajudarão) na construção do serviço. Atualmente, existem oito vagas disponíveis, todas para engenheiros de streaming de conteúdo.

Vagas no varejo da Apple

Mesmo com o destaque das vagas para o seu serviço, a Apple não deixou para trás outras posições internas, como os técnicos das Apple Stores. Nesse sentido, as contratações da companhia para o varejo aumentaram em novembro passado, passando de 303 para 498 vagas.

Apesar das dificuldades enfrentadas em alguns mercados asiáticos, a Apple tem investido em contratações em regiões como Tailândia, Hong Kong, Singapura, Macau e, inclusive, China (onde os números da Maçã foram os mais discrepantes).

via 9to5Mac

Posts relacionados

Comentários