FBI explica como a Apple assegura os segredos de seus projetos

Em menos de um ano, dois ex-funcionários da Apple foram presos após roubarem segredos do Projeto Titan (que inclui o desenvolvimento do especulado carro autônomo da Maçã).

O caso mais recente, envolvendo o chinês Jizhong Chen, também contou com a participação do FBI1 — que revelou algumas das medidas adotadas pela companhia para proteger os segredos dos seus produtos em desenvolvimento.

De acordo com o documento da queixa criminal [PDF], todos os funcionários por dentro do projeto automotivo da Apple (cerca de 5 mil dos mais de 140 mil funcionários da companhia) devem participar de um “treinamento secreto pessoal”.

Tal treinamento cobre a importância de manter a natureza e os detalhes do projeto em segredo, além de evitar vazamentos de informações intencionais ou não-intencionais, como divulgou o Business Insider.

Os métodos de treinamento são revisados para garantir que as informações sobre o projeto sejam fornecidas apenas aos indivíduos divulgados no projeto, de forma que os membros da família não devem ter acesso a informações sobre o projeto, estando suscetíveis a possíveis consequências por compartilharem ou confirmarem informações a indivíduos não-divulgados.

O Business Insider destacou, ainda, que a Apple usa um jargão específico para se referir àqueles que fazem parte do projeto: “disclosed” (divulgado). Segundo ex-funcionários da companhia, a gigante de Cupertino usa esse termo para denotar os funcionários que podem obter informações dos produtos em desenvolvimento.

Mesmo que tal empregado faça parte do projeto, isso não significa que necessariamente ele(a) terá acesso a todas as informações. Ainda segundo o relatório, das 5 mil pessoas familiarizadas com o projeto, apenas 1.200 são “funcionários do projeto principal” e possuem acesso ao prédio “onde a magia acontece”, por assim dizer.

A Apple também se aproveita de uma tática antiga para conseguir manter o segredo dos seus projetos: o famoso colega “X9”. No caso de Chen, por exemplo, o então funcionário da Maçã foi denunciado à divisão de segurança da Apple por outro empregado da companhia que disse tê-lo visto tirando fotos de dados em um computador (dando-nos um pouco mais de informações sobre esse secretíssimo projeto).

Uma das fotos era de um diagrama relacionado ao hardware autônomo da Apple. Ela mostrava vários sensores que a Apple usou para determinar onde o carro estava e como eles se conectavam aos atuadores, que é o que realmente pilotaria o veículo.

Apesar de tanto o Projeto Titan quanto o suposto “Apple Car” continuarem sob as cortinas, sabemos que a Maçã não só está trabalhando para limitar o número de funcionários a par dos seus segredos, como também utiliza de todos os artifícios possíveis para garantir que eles permaneçam desse modo — logo, tirar seu iPhone para capturar uma foto do Mac pode não ser uma boa ideia na Apple.

via 9to5Mac

Posts relacionados

Comentários