Ex-diretor da Apple é processado após lucrar com informações privilegiadas

Se a Apple possuísse uma lista com o nome das pessoas que traíram a companhia, certamente o nome de Gene Levoff estaria rabiscado nas últimas linhas. Isso porque o advogado e ex-vice-presidente de direito corporativo da Maçã foi acusado de insider trading1 de acordo com um processo aberto pela U.S. Securities and Exchange Commission.

A SEC alegou que Levoff teve acesso aos resultados financeiros da Apple antes de eles serem divulgados publicamente e que ele usou essas informações para comprar/vender ações da Maçã antes que os dados ficais da companhia valorizassem (ou desvalorizassem) os seus papéis entre 2015 e 2016. Ironicamente, essa era a mesma situação que o advogado estava incumbido de evitar enquanto trabalhava na Apple.

Essa não foi a primeira vez que o ex-executivo praticou a ação desleal de se beneficiar com informações privilegiadas da Maçã; segundo a SEC, Levoff teria negociado informações não públicas da empresa pelo menos três outras vezes entre 2011 e 2012, quando ele ganhou cerca de US$245 mil. No caso mais recente, o ex-VP evitou perdas de aproximadamente US$382 mil, como informou a CNBC.

O nome de Levoff também é citado em documentos de transações — digamos — suspeitas da Apple. Nesse sentido, ele contou para parlamentares americanos (que investigavam startups adquiridas silenciosamente pela companhia na Europa) que participou de diversos processos de aquisições e fusões da Apple que estão fora dos papéis oficiais da companhia. O executivo foi demitido da empresa em julho passado e seu contrato encerrou em setembro.

Pelo uso de informações privilegiadas para seu próprio benefício, a SEC exigiu que Levoff pague uma multa correspondente aos lucros obtidos e perdas evitadas por essa ação, e protocolou uma proibição que o impede de servir como oficial ou diretor de qualquer empresa pública. Em um comunicado à CNBC, o advogado de Levoff, Kevin Marino, disse que está “revisando as alegações civis e criminais contra o Sr. Levoff e que espera defendê-lo nos dois assuntos”.

A Apple, por outro lado, explicou em um comunicado que depois de ser contatada pelas autoridades, no meio do ano passado, conduziu uma investigação completa com a ajuda de agentes externos, o que resultou na demissão de Levoff. O ex-executivo deverá comparecer ao Tribunal Distrital de Nova Jersey no dia 20 próximo.

via 9to5Mac

Posts relacionados

Comentários