Júri decide que Apple infringiu patentes e dá ganho de causa à Qualcomm

A mais recente batalha da Apple contra a Qualcomm nos tribunais começou recentemente, na cidade de San Diego (Califórnia, Estados Unidos). E a decisão do júri foi rápida: como informou a Bloomberg, a Maçã foi declarada culpada de infringir três patentes da gigante dos microchips e terá de pagar cerca de US$31,6 milhões em danos.

As três patentes em questão, como cobrimos nesse artigo, referem-se a tecnologias que permitem que o smartphone se conecte à internet rapidamente após ser ligado, lidam com o processamento de gráficos e a bateria do aparelho, e permitem que os aplicativos do dispositivo baixem dados mais rapidamente ao dividir a tarefa entre o processador e o modem.

Sobre a decisão, a Apple emitiu um comunicado com teor muito parecido ao de outros já publicados anteriormente:

A campanha contínua da Qualcomm, de nos acusar de infração de patentes, nada mais é do que uma tentativa de distrair as pessoas dos problemas maiores que eles enfrentam, com investigações sobre suas práticas de negócios acontecendo na Corte Federal dos EUA e ao redor do mundo.

Apesar de não ter declarado, a Apple certamente recorrerá da decisão. Ainda assim, o resultado é um baque para a Maçã — não pelo dinheiro, que é nada mais que um trocado para o poderio econômico da empresa, mas pelas consequências que ele poderia causar em outros processos pelo mundo.

Há de se esperar, também, os processos “reversos”, isto é, aqueles nos quais a Apple está processando a Qualcomm. Em um deles, um juiz defendeu a tese de que a gigante dos chips deve cerca de US$1 bilhão à Maçã — ou seja, o barco pode virar rapidamente e nós só saberemos o final dessa história daqui a um bom tempo. Aguardemos.

via MacRumors

Posts relacionados

Comentários

2 comments

  1. Acho que as empresas já criam um contrato com brechas escondidas, como uma forma de se defender futuramente. Aí quando ocorre de separarem, como foi o caso agora, eles correm atrás de processar a outra parte utilizando-se das brechas que estava no contrato, e começa a briga. A outra parte provavelmente vai achar mais brechas e isso vira um circo.

    Seria mais fácil aceitarem a separação, mas isso não funciona no mundo do capitalismo, pelo visto.

  2. Concordo com a Apple. Esse processo da Qualcomm é só uma tentativa em criar um procedente jurídico para tentar reverter decisões como a da Federal Trade Commission. Várias autoridades de comércio ao redor do mundo já decidiram que as cobranças de royalties da Qualcomm não só foram injustas, mas, ilegais. Agora só falta a Federal Trade Commission decidir isso nos EUA. Não faz sentido esse processo, quer dizer só a Apple infringiu e Samsung, Huawei e MediaTek não? Vejo isso tudo por parte da Qualcomm uma tentativa de obter no final da história pelo menos o troco da pinga.

Deixe uma resposta