De luto pelo AirPower? Confira alternativas ao carregador que foi sem nunca ter sido

Não há dúvidas de que o AirPower vai entrar para os anais da Apple como um dos maiores micos da empresa — não propriamente pela incapacidade técnica para realizá-lo (é melhor cancelar um produto falho antes do seu lançamento do que colocá-lo no mercado, afinal), mas pela arrogância da Maçã em achar que poderia vencer as leis da Física com a tecnologia atualmente disponível e anunciar um produto antes de qualquer resquício de comprovação da sua viabilidade.

Ainda assim, a morte prematura do carregador da Maçã nos deixa órfãos: nenhuma outra opção no mercado oferece os benefícios que a Apple prometia — teoricamente. Portanto, o que há a se fazer neste momento é um apanhado das alternativas que melhor cumpram as expectativas de quem estava só esperando o AirPower para tirar o escorpião do bolso e investir num bom carregador wireless.

Vamos a elas, portanto.

Belkin

Já falamos aqui sobre os carregadores BOOST↑UP da Belkin — o mais caro deles, aliás, é vendido exclusivamente pela Apple e pela própria fabricante, e continua sendo uma das indicações mais certeiras para quem queria um produto com a qualidade do AirPower.

Temos aqui capacidade de carregar um iPhone (que fica em pé, o que é um bônus) a 7,5W e um Apple Watch com o módulo de carregamento magnético embutido.

Belkin BOOSTUP Wireless Charging Dock

Temos ainda uma porta USB na traseira, que serve para você conectar cabos de várias sortes e fornecer energia a um terceiro dispositivo, como o estojo dos seus AirPods. O BOOST↑UP com espaço para o Apple Watch sai por US$150, mas existem outros modelos, mais simples, partindo de US$50.

Nomad

Também já falamos da Nomad Base Station Apple Watch Edition, que traz um design mais elegante e certamente há de se integrar melhor à sua mobília — por outro lado, o iPhone aqui fica necessariamente deitado. OANomad Base Station é construída em couro e alumínio e pode carregar até três dispositivos sem fio (sendo o Apple Watch em seu conector próprio) na sua base de bobina tripla.

Carregador sem fio Nomad Base Station Apple Watch Edition

A versão com carregador para o Watch sai por US$140, enquanto a Base Station “tradicional” — que não conta com o carregador para o reloginho, mas em compensação traz portas USB-A e USB-C — sai por US$100 no site da Nomad. Ambas trazem várias opções de acabamento.

ZENS

Aqui está mais um exemplo de carregador já destacado por nós: os acessórios da ZENS trazem design elegante e várias opções para agradar a todos os usuários. A mais completa delas, a Dual+Watch Aluminum Wireless Charger, carrega dois dispositivos na sua base e um Apple Watch no espaço específico para o reloginho — tudo em potência máxima.

Carregadores sem fio para múltiplos dispositivos da ZENS

Há, ainda, uma versão dupla sem o carregador para Apple Watch e uma versão simples, para um dispositivo apenas. Elas saem, respectivamente, por €100, €80 e €50 no site da fabricante, que é baseada na Holanda.

Maluokasa

Quer um acessório que é a cara do AirPower e custa algumas vezes menos do que o carregador da Maçã provavelmente custaria? Não precisa procurar muito: esse exemplar da Maluokasa está à venda na Amazon por apenas US$36.

Carregador sem fio da Maluokasa

O carregador fornece energia ao iPhone a até 7,5W (outros smartphones podem ir além disso); para carregar seu Apple Watch, entretanto, você precisará encaixar aqui o carregador que veio com o reloginho — US$36 não fazem mágica, afinal. O acessório ainda conta com um chip para proteção da carga que desativa o seu funcionamento no caso de temperaturas muito altas.

RAVPower

Para quem ainda pretende manter os AirPods com o estojo original por algum tempo e não se importa em carregar o Apple Watch em seu cabo de fábrica, um carregador wireless simples, somente para o iPhone, pode ser uma ótima opção para economizar.

Carregador sem fio da RavPower

Essa opção da RAVPower é uma das mais benquistas: ela custa pouco (US$35), tem excelente construção, já vem com um cabo USB e um adaptador de parede e carrega seu smartphone em pé, em potência máxima.

Carregador sem fio da RavPower

Para quem prefere carregar o iPhone na horizontal, a mesma RAVPower oferece uma opção ainda mais barata: o carregador “plano” sai por US$30, também na Amazon.

NytStnd

Aqui, estamos falando de um carregador que, ao mesmo tempo, faz às vezes de objeto de decoração e mobília. O NytStnd AirPods Trio tem algumas cartas na manga: primeiramente, o carregador sem fio para iPhone é opcional — se você tem um modelo anterior ao modelo ao iPhone 8, por exemplo, pode solicitar a versão Dock, com um conector Lightning.

Carregador sem fio da NytStnd

A parte dedicada a carregar os AirPods só existe dessa forma, com um conector Lightning, o que é uma perda em termos de usabilidade mas um grande bônus caso você opte pelo estojo sem carregamento wireless. A seção para o Apple Watch, por sua vez, exige que você conecte o carregador que veio na caixa do reloginho.

O acessório, que ainda conta com um compartimento para moedas e chaves, sai por US$110 no site da fabricante. Você pode escolher as cores e o tipo do acabamento em madeira do carregador, o que é um ótimo bônus.

Hard Cider Labs

Por fim, uma incógnita: como falamos no seu post de apresentação, o SliceCharge Pro, da Hard Cider Labs, ainda está em fase de captação de recursos e, se obtiver sucesso, será lançado em maio. Caso isso aconteça, a Apple pode começar a chorar: o produto cumpre basicamente tudo o que o AirPower prometia, com a possibilidade de posicionar seus dispositivos em qualquer local da superfície de carregamento.

SliceCharge Pro, carregador múltiplo concorrente do AirPower

Só o Apple Watch, com sua tecnologia de carregamento proprietária, não faz parte da festa: para carregar o reloginho, é necessário encaixar um acessório separado (já incluso), que se levanta — o que pode até ser interessante, já que desta forma o Watch pode ser utilizado no modo Nightstand.

Quem tiver interesse no SliceCharge Pro pode, por enquanto, contribuir com sua campanha no Kickstarter para receber uma unidade assim que a produção do carregador for iniciada — no momento, o lance mínimo para isso é de US$70.

dica do Emerson Magrão

Posts relacionados

Comentários