Apple propõe investimento de US$10 milhões para transporte de Cupertino, mas prefeitura não fica satisfeita

Praticar a política da boa vizinhança é fundamental para qualquer pessoa ou empresa — e, se você tem uma presença massiva numa cidade e emprega boa parte da população local, é ainda mais importante. A Apple sempre teve boas relações com Cupertino, e pretende continuar essa lua de mel por muito tempo… se a cidade permitir, claro.

Como informou o Mercury News, a empresa ofereceu recentemente à prefeitura de Cupertino um investimento de US$10 milhões em obras de transporte para a cidade. As renovações seriam focadas especificamente em cinco áreas, englobando cursos para trânsito a pé e de bicicleta; temos, por exemplo, um investimento de quase US$5 milhões em ciclovias entre três escolas de Ensino Fundamental e Médio da cidade.

As iniciativas, claro, não são meras doações: a Apple está fazendo-as como “contra-propostas” a um projeto de lei apresentado na cidade que mudaria o esquema de impostos das empresas locais. Atualmente, Cupertino cobra das empresas por lá instaladas taxas com base na área de ocupação de cada companhia; segundo a nova proposta, esse valor passaria a ser calculado com base na quantidade de pessoas empregadas por cada companhia.

Como a Apple emprega 24 mil pessoas só em Cupertino (uma cidade de cerca de 60 mil habitantes, é bom notar), essa mudança traria um grande aumento de gastos em impostos à empresa — aproximadamente US$10 milhões por ano, segundo o jornal.

Com a proposta dos investimentos, a Apple pretende adiar a decisão da cidade de “girar a chave” na sua cobrança de impostos e, ao mesmo tempo, oferecer uma melhoria para os cidadãos cupertinianos. Ainda assim, a prefeitura não está impressionada: a vice-prefeita Liang Chao afirmou estar “desapontada” com a quantia oferecida pela Maçã, declarando que os US$10 milhões serão justamente a arrecadação extra obtida da Apple caso a reforma fiscal seja implementada.

Há críticas, também, ao fato de que as propostas da Apple resumem-se a obras para passarelas, vias de pedestres e ciclovias, o que não resolveria o crescente problema de congestionamentos na cidade. Apesar disso, o prefeito Steven Scharf relativizou as críticas, afirmando que não há a necessidade de pedir dinheiro à Maçã para tudo:

A Apple está interessada em melhorias para pedestres e ciclistas. Não é como se todo problema que a cidade tiver, nós iremos até eles e pediremos dinheiro. Eu acho que eles decidiram quanto querem doar.

A câmara de Cupertino votará a proposta da Apple em breve.

via 9to5Mac

Posts relacionados

Comentários