Sim, é possível recuperar dados de um iPhone quebrado — mas não com a Apple

Imagine a seguinte situação. Você está viajando com seu iPhone em um local onde não há muitos lugares com conexão Wi-Fi; com isso, o Fotos não está sincronizando as imagens capturadas no aparelho com o iCloud e você tem um álbum de viagem inteiro armazenado somente no smartphone. Em um fatídico momento, seu iPhone sofre um acidente e não liga mais. Adeus fotos, certo?

Bom, isso seria o que a Apple lhe diria e o que boa parte das pessoas acredita, mas não é a verdade completa. Um artigo publicado hoje no blog da iFixit traz a história de Josephine e Dave Billard, um casal canadense que, como na hipótese que eu levantei anteriormente, teve um iPhone 6 Plus com mais de 8.000 fotos (armazenadas apenas localmente) inutilizado após uma viagem ao fundo de um lago.

Após ouvir da Apple que as fotos estavam perdidas para sempre (já que o aparelho não ligava mais e não era possível fazer qualquer tipo de operação para “forçar” as fotos para fora daquele invólucro inerte), o casal levou o iPhone para Jessa Jones, fundadora do serviço iPadRehab – focado justamente na recuperação de dados de dispositivos iOS quando os prospectos são os mais funestos possíveis.

Jones é uma especialista em micro-soldagem que consegue fazer reparos em placas lógicas a um nível milimétrico, substituindo pecinhas danificadas e levando o aparelho a um estado limitado de funcionamento para que ele possa ao menos ser ligado e desbloqueado — que são as tarefas necessárias para salvar os dados armazenados localmente.

A especialista estima que 95% dos aparelhos danificados por água tem dados plenamente recuperáveis, e arquivos em dispositivos quebrados por outros tipos de acidentes também têm salvação. Basta que a unidade de armazenamento do aparelho não esteja danificada — se ela estiver intacta, há um jeito de fazer o produto voltar a funcionar pelo menos pelo tempo necessário para salvar os dados.

Infelizmente, esse não é o comportamento adotado pela Apple. Em seus dispositivos móveis, a empresa tem abraçado cada vez mais uma política de substituição em vez de reparo — isto é, qualquer dano apresentado significa que seu aparelho será trocado, e não consertado; com isso, torna-se basicamente impossível recuperar dados de aparelhos que não ligam.

A Maçã não recomenda que seus clientes procurem serviços não-autorizados para fazer esse tipo de serviço, mas especialistas como Jones estão se multiplicando e apresentando um contraponto bastante interessante à “cultura descartável” da empresa de Cupertino.

Portanto, fica a dica: se você achar que seus dados estão perdidos para sempre, não perca a esperança — procure um profissional especializado, explique a situação e torça para que uma solução seja encontrada. Às vezes, até os problemas mais espinhosos têm conserto, afinal de contas.

Posts relacionados

Comentários