Mais um grupo move processo contra a Apple por suposta fraude fiscal

Os resultados financeiros recentes da Apple continuam rendendo dores de cabeça para a empresa. Alguns processos que a acusam de fraude fiscal já foram movidos por grupos de investidores ao redor dos Estados Unidos, e agora mais uma ação está sendo encaminhada ao departamento jurídico de Cupertino — essa, relacionada especificamente aos negócios da Maçã na China.

Como informou o AppleInsider, a ação movida no Distrito do Norte da Califórnia convoca todos os indivíduos e grupos que compraram ações da Apple entre 2 de novembro de 2018 e 2 de janeiro de 2019. Segundo os autos do processo, os comentários feitos pelo CEO1 Tim Cook e pelo CFO2 Luca Maestri durante uma conferência de resultados financeiros em novembro passado apresentaram prospectos falsos, que teriam influenciado investidores em direções equivocadas.

Mais especificamente, a Apple previu, na ocasião, um trimestre que quebraria recordes, notando que as incertezas no mercado chinês não seriam determinantes e que a guerra comercial entre os EUA e a China não influenciaria negativamente as vendas de iPhones — o que, como todos sabemos, acabou acontecendo.

A ação acusa a Maçã ainda de não contabilizar, nas suas previsões financeiras, o impacto resultante do programa de troca de baterias que viu 11 milhões de iPhones terem suas baterias trocadas (e suas vidas úteis prolongadas, portanto) — um número 11 vezes superior ao padrão.

A parte queixosa ainda afirma, por fim, que a decisão da Apple de deixar de relatar os números exatos de vendas de iPhones é mais uma iniciativa com intuito de “mascarar” as baixas vendas do smartphone, o que também levaria investidores a tomar decisões com base em informações imprecisas ou incorretas.

O grupo pede compensação financeira pelas ações da Maçã, mas o julgamento da ação ainda não foi marcado. A Apple não comentou o caso.

Posts relacionados

Comentários