Quadrilha será julgada por fraudar compras de US$19 milhões em iPhones

Se você achou que um golpe aplicado por estudantes os quais roubaram quase US$1 milhão da Apple com iPhones falsos foi demais, veja só isto: uma quadrilha em Nova York supostamente roubou o equivalente a mais de US$19 milhões (cerca de R$73 milhões) em iPhones nos últimos sete anos, segundo um novo relatório da Quartz!

De acordo com a publicação, os seis integrantes da quadrilha se passavam por clientes de operadoras americanas para comprar novos iPhones e outros produtos da Apple com descontos. Em seguida, os criminosos vendiam os telefones no mercado negro, o que os ajudou a escapar das autoridades por tanto tempo.

As vítimas do esquema incluem um número incontável de clientes cujas identidades foram roubadas pela quadrilha, bem como as próprias operadoras (não identificadas), que normalmente pagavam o pato. As operações do bando eram relativamente simples, de acordo com o processo aberto no Tribunal de Nova York, em abril passado.

Os ladrões usavam identidades e cartões de débito falsificados em lojas de operadoras e se apresentavam como titulares legítimos das contas para atualizar seus dispositivos a partir de programas de fidelidade ou trade-in.

Eles, então, distribuíam os pagamentos ao longo de muitos meses e, é claro, surpreendiam o cliente real que, ao receber a fatura, se deparava com a conta de um aparelho novo não solicitado. Quando tentavam agir, já era: não havia mais rastros nem dos golpistas, nem dos aparelhos comprados ilegitimamente. Para facilitar o esquema, a quadrilha passou por cerca de 34 estados americanos diferentes, mas grande parte dos dispositivos roubados eram vendidos no Bronx, distrito de Nova York.

Foi durante uma das investigações da polícia americana que um dos criminosos (responsável pelo transporte dos aparelhos) foi capturado e concordou em ajudar as autoridades em troca de uma redução de sentença. A polícia apreendeu cerca de 39 pacotes desde então, os quais continham aproximadamente 250 iPhones, além de dezenas de cartões de crédito, carteiras de motorista e passaporte falsos.

Os acusados do esquema se declararam inocentes e foram liberados sob o pagamento de uma fiança de US$100 mil (cada um) e deverão aguardar julgamento. A Apple não comentou o caso.

via AppleInsider

Posts relacionados

Comentários

4 comments

  1. Desculpa aí meu caro. Mas não é bem assim…

    Podem até pagar fiança para responder em liberdade, o que penso ser beeem difícil neste caso. Vão pagar os advogados com o dinheiro do ilícito, isso vão!!! Povinho que tem complexo de vira-lata no Brasil, é bom que veja que crime há no mundo todo porém, há uma diferença sim muito grande do Brasil com o EUA, no cometimento a punição do ilícito… Lá, não vão pagar e sair, aguardar julgamento em liberdade até que anos depois saia a sentença “mixaria” e consigam uma brecha na lei para pagar mais um pouco e tudo “resolvido”… Neste caso duvido muito que terão uma redução significativa… Acompanhe o caso para saber (para comprovar)…

  2. Não mesmo, as Leis Americanas são bem rígidas com roubo de identidade e fraude entre estados, lembrando que lá o sistema de justiça é livre ou seja não é necessário o MP denunciar criminalmente, basta os afetados denunciarem criminalmente.
    Quanto às penas, cada estado tem suas Leis, mais as Leis Federais e etc garanto que não saíram pagando fiança.

Deixe uma resposta