Apple argumenta que aumento de impostos afetará seus investimentos nos Estados Unidos

Apesar de estar considerando levar (boa) parte da sua produção para fora da China, a Apple sabe que ainda dependerá das instalações atuais e continua tentando mudar a cabeça do presidente americano Donald Trump.

Alguns dias após Tim Cook ter visitado a Casa Branca para discutir a guerra comercial dos Estados Unidos com a China, hoje a Apple enviou uma carta ao Ministério do Comércio Exterior americano mais uma vez clamando pela suspensão do aumento de impostos.

Na carta, a Apple alega que o aumento terá um impacto significativo em quase todos os seus produtos (incluindo iPhones, iPads e Macs) e que, por isso, os investimentos da empresa nos EUA teriam que ser reduzidos.

Apple anuncia que contribuirá com US$350 bilhões(!) à economia americana nos próximos 5 anos, incluindo a geração de 20.000 novos empregos e um novo campus

Além disso, considerando que várias gigantes chinesas não têm uma participação muito significativa nos EUA e outras fabricantes de fora seriam menos impactadas pelos impostos reajustados, a Apple afirma que a medida afetará a sua competitividade no mercado global.

A Apple termina a carta afirmando que é uma “orgulhosa companhia americana”, além da “maior pagadora corporativa de impostos ao Tesouro dos EUA”, e agradece antecipadamente pela reconsideração da medida.

Fazer Trump e sua equipe mudarem de ideia sobre algo não é lá muito trivial, mas certamente essa pressão da Apple não é pouca coisa.

via Politico

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários