Qualcomm causa desconforto ao usar documentos confidenciais da Apple em audiência

Ah, a Qualcomm. Figurinha onipresente aqui no MacMagazine até alguns meses atrás, a gigante dos microchips saiu um pouco de cena após ter seu gigantesco imbróglio judicial com a Apple resolvido com um acordo fora das cortes. No mês passado, falamos aqui sobre a derrota sofrida pela empresa na acusação de práticas antitruste feita pela Federal Trade Commission (FTC) — e é justamente por conta dessa derrota que a Qualcomm está nas manchetes de novo.

Publicidade

A empresa, como se esperava, recorreu da decisão da FTC. E, como informou a Reuters, as novas audiências trouxeram um elemento inesperado à mesa: a Qualcomm exibiu documentos confidenciais da Apple para reforçar a tese da sua inocência, o que causou desconforto entre o júri — e, presumivelmente, entre os executivos da Maçã, que nem têm mais nada a ver com a história.

Na audiência de ontem (quinta-feira, 20/6), a gigante dos microchips apresentou slides de apresentações internas da Apple nos quais a Maçã listava objetivos para “prejudicar a Qualcomm financeiramente” e “criar vantagem para colocar pressão” na empresa. Nos documentos, a Maçã planejava estratégias para desvalorizar as patentes da (então) adversária e, com isso, fortalecer sua posição perante ela.

O objetivo da Qualcomm, ao mostrar esses slides agora, é argumentar que a empresa estava sendo vítima de um ataque deliberado da Apple e, com isso, justificar suas práticas consideradas ilegais pela FTC. Esses documentos, inclusive, já tinham sido exibidos em uma audiência do processo Apple vs. Qualcomm, em abril, mas não foram enviados ao júri na primeira rodada de audiências do processo atual, contra a FTC.

Publicidade

A questão é que a própria FTC manifestou-se contra a inclusão dos slides na defesa da Qualcomm: segundo os oficiais do órgão, a atitude foi “imprópria, injusta e prejudicial” porque não havia nenhuma testemunha da Apple na audiência para falar sobre o contexto do documento ou o significado das palavras ali inclusas. Se a Qualcomm tivesse informado o júri sobre essa inclusão anteriormente, esses trâmites poderiam ter sido providenciados.

Ainda assim, a reclamação da FTC não é formal, e ainda não está decidido se os slides da Apple serão aceitos como evidência concreta da defesa da Qualcomm — essa decisão caberá à juíza Lucy Koh.

Que climão, hein?

Publicidade

via Cult of Mac

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…