Recall do MacBook Pro: relatórios indicam 27 casos de baterias que superaqueceram

Na semana passada, nós informamos que a Apple colocou em ação um recall mundial para substituir algumas baterias de MacBooks Pro (de 15 polegadas, modelo fabricado em 2015), os quais foram comercializados entre setembro de 2015 e fevereiro de 2017. O motivo? Elas poderiam superaquecer e, em alguns casos extremos, explodir. Pois hoje surgiram informações sobre alguns casos.

A Comissão de Segurança de Produtos de Consumo dos EUA (U.S. Consumer Product Safety Commission, ou CPSC) informou que a Apple recebeu 26 relatos de superaquecimento de baterias nos notebooks afetados. Desses, 17 envolveram danos menores a alguma coisa ou item que estava próximo ao Mac, 5 envolveram pequenas queimaduras e um foi relacionado a inalação de fumaça.

No total, cerca de 432 mil unidades desses MacBooks Pro foram vendidas (lembrando que estamos falando de uma comissão americana, englobando, portanto, apenas dados dos EUA) no período; a comissão canadense, por sua vez, informou que o total de MacBooks Pro potencialmente afetados no país é de 26 mil (com apenas 1 relatório de incidente).

Ainda que 27 casos (somando os americanos com o canadense) seja um número relativamente grande, estamos falando de um caso em cada 16,9 mil MacBooks Pro — ou seja, 0,005% de Macs afetados, se levarmos em consideração os dados divulgados até o momento.

Mesmo assim, claro, é mais do que obrigação da Apple ter iniciado esse recall.

via MacRumors

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários