Mais um processo: empresa acusa Apple de infringir patentes de GPS

Alô, departamento jurídico de Cupertino: tem mais trabalho pra vocês chegando! De acordo com o AppleInsider, a Maçã recebeu mais um processo nas costas relacionado a infração de patentes — desta vez, por parte de uma empresa chamada Location Based Technologies (LBT).

PocketFinder, da Location Based Technologies (LBT)

Ao contrário do que geralmente acontece com as famigeradas “patent trolls”, a LBT é uma companhia com um produto real e comercializado: o PocketFinder, uma linha de dispositivos GPS extremamente resistentes que podem ser usados para rastrear veículos, objetos pessoais ou mesmo pessoas. Os aparelhos se conectam a um app no iOS (ou Android) e, de lá, podem ser personalizados e gerenciados.

É justamente a tecnologia a qual possibilita o funcionamento do PocketFinder que está no centro do processo contra a Apple: de acordo com a LBT, a Maçã está infringindo cinco patentes da empresa (8.497.774, 8.542.113, 8.102.256, 8.421.618 e 8.421.619), relacionadas a recursos de economia de energia em dispositivos com geolocalização.

Mais especificamente, a acusação se refere a tecnologias no iPhone e no iPad que suspendem determinados processos em certas circunstâncias, com base na ação dos sensores de localização, para economizar bateria. Uma dessas tecnologias é a detecção de face para baixo, que usa o acelerômetro e o giroscópio para determinar quando um iPhone está com a tela virada para baixo numa superfície e automaticamente desliga o painel e silencia as notificações do aparelho.

Segundo a LBT, a Apple foi notificada das supostas infrações no mês passado, mas não se pronunciou. A ação está sendo movida na Corte Distrital do Estado de Delaware, nos EUA, mas ainda não há previsão de quando será julgada. A Maçã, como de costume, manteve-se em silêncio acerca das acusações.

Posts relacionados

Comentários