Não é nenhuma novidade que a Apple está colocando uma quantidade cavalar de dinheiro na sua plataforma de filmes e séries originais, o Apple TV+. O que pode ser uma novidade é que algumas das produções da Maçã poderão ter um orçamento semelhante ao dos maiores arrasa-quarteirões da TV americana — ou até mesmo de alguns blockbusters de Hollywood.

O Wall Street Journal publicou recentemente uma reportagem tratando dessa escalada dos custos de séries de TV e revelou um número impressionante relacionado à série “See”, uma das produções originais do Apple TV+. Segundo a matéria, a Maçã está gastando cerca de US$15 milhões por episódio na primeira temporada da série.

O orçamento é semelhante ao que a HBO gastou por episódio na última temporada do fenômeno “Game of Thrones”, e também se equipara à superprodução do Disney+, “The Mandalorian”, situada no universo de “Star Wars” e que estreará em novembro próximo. Mais que isso: considerando a quantidade tradicional de dez episódios por temporada, chegamos à conclusão de que as empresas estão gastando até US$150 milhões por uma temporada de produção televisiva — valor semelhante ao da maioria dos blockbusters hollywoodianos.

A Amazon é outra empresa que está com a carteira escancarada para o mundo das produções televisivas: segundo fontes, a empresa de Jeff Bezos fechou um contrato de US$250 milhões para produzir uma futura série baseada em “O Senhor dos Anéis” — e esse valor refere-se somente aos direitos dos livros.

A explicação para o fenômeno é simples: cada vez mais, é comum que filmes e séries dividam espaço nas plataformas de streaming. As produtoras (seja Apple, Amazon, HBO ou Disney), portanto, não podem arriscar oferecer produtos que pareçam inferiores ou de orçamento mais modesto simplesmente porque foram feitos para a TV. A tendência é que, a cada dia, fique mais enfraquecida a ideia de que o produto para a TV tem uma aparência mais “barata”.

Essa inflação do orçamento televisivo passa por vários aspectos das produções, desde o design de produção até os gastos com fotografia/locações e a própria contratação de nomes estrelados de Hollywood para as séries. “See”, por exemplo, será capitaneada por Jason Momoa, que conquistou fama justamente com “Game of Thrones” e agora é um astro de primeira linha, com seu papel principal em “Aquaman”.

Curiosamente, a rainha do streaming é que, por outro lado, está apertando um pouco os gastos: segundo o WSJ, a Netflix está tomando medidas para economizar um pouco mais nas suas produções daqui para frente. Isso porque mesmo todo o dinheiro do mundo não necessariamente garante sucesso: basta ver o caso de “The Get Down”, série da gigante que custou US$7,5 milhões por episódio e foi cancelada com somente uma temporada.

“Alabama”

Obviamente, nem todas as séries do Apple TV+ precisam ser megaproduções — temos também seriados menores, mais intimistas e com temáticas mais maduras. Um deles acabou de ser anunciado.

Imelda Staunton

De acordo com o Chortle, a Apple firmou uma parceria com a BBC para produzir a série “Alabama”, uma comédia dramática escrita por Andy Wolton e estrelada por Imelda Staunton, indicada ao Oscar por “O Segredo de Vera Drake” e conhecida pela série de filmes “Harry Potter”. Jim O’Hanlon, de “Catastrophe”, deverá atuar como showrunner.

Ainda não há mais informações sobre a temática ou a sinopse da série, mas ela deverá chegar ao Apple TV+ em algum momento do ano que vem.

via AppleInsider

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários