Designer cria arquivo com todos os materiais promocionais da Apple desde a sua fundação Prepare-se para uma dose concentrada de nostalgia

Parece que hoje é o dia oficial da nostalgia relacionada a empresas fundadas por Steve Jobs: depois de um catálogo completo da NeXT digitalizado por um historiador, temos um arquivo muito maior sendo disponibilizado na internet — um que cobre todos os materiais promocionais produzidos pela Apple desde a sua fundação, em 1976.

A iniciativa é do designer (e entusiasta da Maçã) Sam Henri Gold, e a ideia surgiu quando ele percebeu que o canal do YouTube Every Apple Video estava começando a ser abandonado por seus mantenedores. A partir daí, Gold passou a capturar imagens e vídeos de todas as fontes humanamente possíveis: fontes oficiais e não-oficiais da Apple no YouTube, servidores FTP espalhados pela internet e doações de amigos ou desconhecidos vindas de drives externos, CDs/DVDs ou mesmo fitas cassete.

Eu decidi abrir meu arquivo de vídeos da Apple no Google Drive como uma espécie de teste para garantir que todas as datas estão certas e que eu não esqueci de nada. Confiram e aproveitem! Comentários são bem-vindos 🙂

O projeto ainda está engatinhando: Gold planeja disponibilizar todo o repositório num site especial do Internet Archive (a fundação, aliás, já anunciou que ficará feliz em hospedar o arquivo), mas, por ora, colocou todo o material coletado no Google Drive. A ação é uma espécie de prévia para que outros entusiastas possam checar o conteúdo já postado, conferindo se as datas atribuídas estão corretas e se o material está completo.

No Google Drive, o material está dividido em décadas e anos, além de contar com seções especiais para artes da App Store e vídeos de várias lojas da Maçã ao redor do mundo. Temos vídeos completos de keynotes, comerciais, propagandas impressas, fotos oficiais de produtos em alta resolução, vídeos internos da Apple… enfim, o que você imaginar está salvo por lá.

O único problema é que, no momento, o Google Drive não está sabendo lidar com o número de acessos do arquivo e, por conta disso, vários dos documentos estão inacessíveis ou indisponíveis para visualização online. Esperamos que a situação se regularize em breve, porque o material é realmente impressionante.

via The Verge

Posts relacionados

Comentários