Procon-SP notifica Apple e Google por política de privacidade do FaceApp A polêmica se desenrola

Vejam só a proporção que pode tomar uma polêmica relacionada a um aplicativo que vira febre por aproximadamente dois dias por deixar as pessoas com aparência idosa: nós mesmos já publicamos um artigo falando sobre as incertezas em relação à política de privacidade do FaceApp, e agora o Procon de São Paulo está expressando as mesmas dúvidas.

O órgão emitiu notificações aos responsáveis pelo FaceApp e também à Apple e ao Google, detentoras das lojas de aplicativos pelas quais o aplicativo é distribuído. A ideia é obter mais informações sobre o uso que o FaceApp faz das fotos e dos dados de usuários; as empresas deverão especificar com clareza que tipo de informações são armazenadas pelo aplicativo e por quanto tempo.

Eis um trecho da nota publicada pelo Procon-SP e divulgada pela Agência Brasil:

Informações divulgadas na imprensa afirmam que a licença para uso do aplicativo contém cláusula que autoriza a empresa a coletar e compartilhar imagens e dados do consumidor, sem explicar de que forma, por quanto tempo e como serão usados. E ainda, essas permissões não estão disponíveis em língua portuguesa.

Segundo o Procon, as cláusulas atuais do app são “genéricas” e não informam com clareza a natureza do uso que o FaceApp faz dos dados dos usuários. A notificação se estende à Apple e ao Google (que, ao menos diretamente, não têm nada a ver com a operação e seja lá qual for o modelo de negócios do FaceApp) porque as empresas estariam “agindo em concordância” com as políticas de privacidade do app ao distribuí-lo em suas lojas.

Vejamos como essa história há de continuar…

via UOL

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários