Samsung Galaxy Note 10

A Samsung encerrou há alguns momentos seu evento Unpacked, em Nova York, onde revelou sua segunda linha de flagships para 2019: o Galaxy Note10, que, pela primeira vez, vem em duas versões — além do modelo padrão, temos o Note10+, ainda maior!

Outra novidade da nova geração não agradará aqueles que passaram a seguir a Samsung por sua defesa do conector para fones de ouvido. Se a sul-coreana bateu o pé e manteve a porta anos após suas principais concorrentes abandonarem-a, o Note10 é o primeiro carro-chefe da empresa a abrir mão da saída de áudio de 3,5mm — segundo a Samsung, para maximizar a bateria e para a inclusão de um motor vibratório mais preciso, que não precisa lidar com a cavidade em questão.

Desculpas esfarrapadas à la Apple à parte, os novos smartphones da Samsung são, inevitavelmente, muito agradáveis aos olhos. Eles contam com as já conhecidas telas AMOLED infinitas da empresa, de 6,3 ou 6,7 polegadas, e a câmera frontal hole-punch — aqui, centralizada, o que dá um ar mais harmônico à composição do que os componentes alinhados à direita nos S10. Mas essa é só a minha opinião.

Samsung Galaxy Note 10

A S Pen continua vindo no pacote, com um slot para chamar de seu na parte inferior do aparelho. Como de costume, ela tem sua parcela de cartas na manga, como um recurso de reconhecimento de texto, acesso rápido a um bloco de notas quando é retirada do seu espaço e suporte a ações no ar — você pode simplesmente fazer gestos com a canetinha para abrir certos apps ou realizar alguns comandos.

Em termos de câmera, temos na traseira um conjunto de três lentes no Note10: uma ultra-grande-angular de 16 megapixels, uma grande-angular de 12 megapixels e uma teleobjetiva também de 12 megapixels. O Note10+ adiciona uma quarta câmera à receita, chamada de DepthVision e responsável por fazer capturas 3D de ambientes ou objetos — tarefa que é feita com um novo app, chamado 3D Scanner, que pode transformar capturas em objetos 3D editáveis.

Os aparelhos também têm suporte ao DeX, o recurso da Samsung que permite conectar o smartphone a um monitor, mouse e teclado para transformá-lo num pequeno computador instantâneo. Mas o recurso agora está ainda melhor: você pode simplesmente conectar o Note10 a qualquer computador rodando Windows ou macOS e usar o DeX dentro de uma janela, movendo arquivos para dentro ou fora do sistema móvel, usando apps e interagindo com seu computador principal. O método tradicional de funcionamento do DeX ainda funciona, claro.

No mais, os aparelhos têm a usual lista de especificações superpoderosa: processadores Snapdragon 855, 8GB (Note10) ou 12GB (Note10+) de RAM1, 256GB ou 512GB de armazenamento, baterias de 3.500mAh e 4.300mAh, respectivamente, e leitor de impressão digital embutido na tela. Temos o recurso de carregamento sem fio bilateral e recarga com fio a até 45W. Ah, e o infame botão Bixby morreu — agora, você ativa a assistente que ninguém usa com uma pressionada longa no botão de força. 🤔

A Samsung já iniciou, nos Estados Unidos, o período de pré-venda dos smartphones; o Note10, com 256GB de armazenamento e 8GB de RAM, sai por US$950; o Note10+ com a mesma capacidade e 12GB de RAM custa US$1.100, enquanto a versão com 512GB de armazenamento sai por US$1.200.

Eles serão lançados no dia 23 próximo em seis cores (branco, preto, azul, vermelho, rosa e “Aura Glow”, que reflete as cores do arco-íris), e a Samsung lançará, em breve, uma versão 5G do smartphone phablet, para quem quiser velocidade máxima de conexão.

Galaxy Book S

Samsung Galaxy Book S

No mesmo evento, a Samsung anunciou o Galaxy Book S, um notebook ultrafino e ultraportátil “com a essência de um smartphone”, segundo palavras da própria empresa.

Criado em parceria com a Microsoft e a Qualcomm, o laptop tem um processador móvel da segunda, o Snapdragon 8cx — que lhe dá uma performance razoável e incríveis 23 horas de bateria.

Temos aqui somente duas portas USB-C, uma de cada lado, e uma saída para fones de ouvido. A tela de 13 polegadas é sensível ao toque, e o laptop conta com 4G embutido para conexão em qualquer lugar.

Ele será lançado em setembro próximo por US$1.000, em duas cores — cinza ou rosa.

Galaxy Watch Active2

Vale comentar, também, o Galaxy Watch Active2 — que já tinha sido revelado pela Samsung há alguns dias, mas também faz parte da sua estratégia para o segundo semestre.

Galaxy Watch Active2

Sucessor do Galaxy Watch Active, o relógio inteligente focado em preço baixo e funções fitness, o novo acessório tem algumas boas cartas na manga.

Para início de conversa, o controle da borda rotativa está de volta — não mais com um anel mecânico, mas uma camada sensível ao toque, semelhante à Click Wheel dos velhos iPods. Temos a mesma bateria de sensores para monitorar seu movimento, exercícios, coração e sono, bem como um leitor de eletrocardiograma (que estará disponível posteriormente), GPS2, NFC3 e Bluetooth 5.0; há versões com LTE4 por um preço maior.

Como todos os relógios recentes da Samsung, o Galaxy Watch Active2 roda o sistema proprietário Tizen, o que significa que ele é compatível com Android e (em menor escala) com o iOS.

O relógio será lançado no dia 27/9 por preços a partir de US$280 e em duas versões, de 40mm ou 44mm.

·   •   ·

O que acharam de tudo?

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários