Após alguns dias de testes do Apple Card por um grupo limitado de usuários nos Estados Unidos, o novo cartão da Apple, em parceria com o banco americano Goldman Sachs, finalmente foi lançado para todos os clientes no país.

Com isso, os usuários de iPhones que quiserem solicitar o Apple Card poderão fazê-lo a partir do app Wallet (rodando o iOS 12.4 ou superior) e, após aprovação (feita de forma imediata), começar a usar o cartão digital da companhia para compras online (incluindo o Apple Pay) até a chegada da desejada versão física do cartão, feita de titânio.

Como informamos, a Maçã oferece um programa de cashback, chamado Daily Cash, no qual cada compra realizada tanto com a versão digital quanto física do Apple Card oferece uma recompensa para clientes. Mais especificamente, as compras feitas usando o Apple Pay em Apple Stores dão 3% de retorno; aquelas feitas por intermédio do Apple Pay em outras lojas dão 2%; já as compras utilizando o cartão físico dão 1% do valor de volta.

Daily Cash do Apple Card

Dada a repercussão positiva do programa, a Apple está ampliando os 3% do Daily Cash para ainda mais comerciantes e aplicativos. Com isso, agora os clientes receberão de volta 3% do valor total das suas compras quando usarem o Apple Card (por meio do Apple Pay) no Uber/Uber Eats — e ainda mais parcerias serão anunciadas em breve.

A VP do Apple Pay, Jennifer Bailey, comemorou a expansão do Apple Card para todos os usuários no território americano:

Estamos entusiasmados com o grande interesse no Apple Card e sua recepção positiva. Os clientes nos disseram que adoram a simplicidade do Apple Card e como ele oferece uma visão melhor de seus gastos.

Por falar em gastos, todas as transações e informações sobre o cartão estão disponíveis no app Wallet, o qual oferece ferramentas de rastreamento e orçamentárias, como categorias divididas por cores que dão aos clientes uma ideia do quanto estão gastando com alimentos, atividades, compras, assistência médica, entretenimento, etc.

Pagamento de saldo do Apple Card

Por ora, o Apple Card está limitado aos EUA, mas a expansão para outros países e regiões é praticamente certa — só não há informações de quando isso deverá ocorrer. Em março passado, comentamos que o CEO1 do Goldman Sachs Internacional, Richard Gnodde, sugeriu uma provável expansão do cartão para a Europa, onde a companhia registrou, recentemente, o serviço junto a órgãos de regulação — bem como Hong Kong e Canadá.

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários