Apple registra patente para teclado físico sem interruptores mecânicos Em breve, num MacBook perto de você — ou não

Teclado do MacBook Pro

O drama que a Apple vive atualmente em matéria de teclado parece ter dias contados, caso os rumores estejam corretos e a empresa abandone o atual mecanismo borboleta e adote, no futuro MacBook Pro de 16 polegadas, o tradicional design de tesoura. Mas pode ser que ainda mais mudanças venham pela frente.

Uma patente publicada pela Maçã e avistada recentemente pelo AppleInsider descreve um tal de Optical Keyboard (Teclado Óptico), uma tecnologia de teclado físico para futuros computadores ou periféricos que não envolveria nenhum tipo de interruptor mecânico, baseando-se simplesmente na ação da luz. Que?!

Patente de "teclado ótico" da Apple

Explico: desde a revolução dos computadores pessoais (e antes!) até hoje, a tecnologia fundamental por debaixo de quase todos os teclados é essencialmente a mesma. Seja em um pesado teclado mecânico ou no finíssimo teclado borboleta dos novos MacBooks Air, a ação dos componentes é realizada por meio de contatos eletrônicos que se tocam, um na tecla e outro na base receptora, enviando sinais ao dispositivo em questão.

Na ideia da Apple, isso não existiria. Você continuaria pressionando teclas para obter resultados na tela, mas essas teclas seriam “vazias” na parte de baixo, com sistemas emissores e sensores de luz que saberiam qual(is) tecla(s) está(ão) sendo pressionada(s) a cada momento. Entrando nos detalhes mais técnicos, assim é descrita a patente:

Um dispositivo de entrada [o teclado] pode incluir um botão ou uma tecla que usa um sensor de luz para detectar eventos de pressionamento da tecla. O sensor de luz pode detectar diferenças na quantidade de luz recebida de acordo com o pressionamento da tecla ou do botão. O botão ou tecla podem incluir uma estrutura opaca que bloqueia uma parte da luz quando a tecla é pressionada. O botão ou tecla podem incluir uma fonte de luz, como um LED. Uma porção da luz da fonte pode iluminar a tecla ou botão para oferecer retroiluminação, e a outra porção pode ser usada pelo sensor de luz para detectar compressão parcial ou completa da tecla.

A ideia certamente é promissora: por envolver bem menos peças que se movimentam, podemos estar falando de um teclado muito mais durável e confiável. Além disso, pela natureza “avulsa” de cada tecla, os reparos também ficariam muito mais simples, já que a falha de uma tecla não requereria a troca do teclado como um todo — somente daquele componente.

Claro que, sendo só uma patente, pode ser que a Apple nunca chegue a implementar a tecnologia. Ainda assim, a ideia é boa, não?

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários