Já sabemos de cor e salteado: mais um dia, mais um processo. Dessa vez, no entanto, a Apple não está envolvida diretamente no imbróglio judicial, e sim a sua fornecedora de chips, a Taiwan Semiconductor Manufacturing Company.

Para a infelicidade da TSMC, a GlobalFoundries (uma empresa de semicondutores sediada na Califórnia) processou-a por supostas infrações de patentes envolvendo processadores da fabricante de Taiwan usados em iPhones, dispositivos Google Pixel, CPUs1 da NVIDIA e muitos outros, como comunicado pela própria empresa americana.

Mais precisamente, a GlobalFoundries alega que certos chips da TSMC infringem 16 das suas patentes registradas tanto nos Estados Unidos quanto na Alemanha. Como parte do processo, a fornecedora procura bloquear as importações de processadores que, segundo eles, dependem dessas patentes para serem produzidos.

Embora o litígio esteja nos estágios iniciais, se o caso for decidido a favor da GlobalFoundries, a bomba estourará não só nas mãos da TSMC, mas também nos negócios de algumas gigantes da tecnologia, como a Apple, o Google, a NVIDIA, a ASUS, a Lenovo, a OnePlus e a própria Qualcomm, com a qual a Maçã esteve de mal por bastante tempo.

A GlobalFoundries anunciou no início do ano que encerraria o desenvolvimento de chips a partir do método de produção de 7 nanômetros, mudando sua estratégia para sistemas específicos, como radiofrequência e IoT2. Sem a capacidade de competir com gigantes da área, como a TSMC e a Samsung, aparentemente a empresa decidiu que a melhor opção é avançar suas patentes para vencer essa briga no campo judicial.

Segundo o vice-presidente sênior de engenharia e tecnologia da GlobalFoundries, Gregg Bartlett, esses processos possuem, na verdade, o intuito de “proteger os investimentos e a inovação baseada nos EUA e na Europa”, afirmando que a TSMC “colhe ilegalmente os benefícios” disso:

Durante anos, enquanto dedicamos bilhões de dólares a pesquisa e desenvolvimento, a TSMC colhe ilegalmente os benefícios de nossos investimentos. Essa ação é essencial para interromper o uso ilegal de nossos ativos vitais e proteger a base de fabricação americana e europeia.

Como dissemos, a GlobalFoundries busca proibir a importação de chips da TSMC que, se promulgada, afetaria todas as linhas de produtos Apple que utilizam os chips da série A (iPhones, iPads, iPods touch, etc.) além de gadgets de outras fabricantes. Segundo o Tom’s Hardware, um embargo imediato é improvável, mas possível a curto/médio prazo.

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários