Mockup de cores do "iPhone 11"

Estamos a uma semana da apresentação dos novos iPhones e, muito mais do que rumores acerca do design ou dos novos recursos da próxima geração de smartphones da Maçã, agora estamos de frente com um provável benchmark do possível modelo sucessor do iPhone XR, o “iPhone 11”.

O resultado, publicado no banco de dados do Geekbench, mostra as pontuações single-core e multi-core de um modelo identificado como iPhone12,1, rodando o iOS 13.1. As chances de esse dispositivo ser realmente o sucessor do iPhone XR são ainda maiores quando analisamos o identificador da placa-mãe (N104AP) — em maio passado, a Bloomberg informou que a próxima geração do iPhone colorido tinha o codinome interno N104.

Partindo do pressuposto que os resultados são legítimos, é possível verificar alguns detalhes sobre o próximo hardware de entrada da Maçã. Primeiramente, o “iPhone 11” poderá oferecer 4GB de memória RAM1 (um aumento se comparado aos atuais 3GB presentes no XR e em consonância com previsões do analista Ming-Chi Kuo).

Quanto aos “iPhones 11 Pro” e “11 Pro Max”, não há ainda indícios de que eles possuirão mais RAM do que os atuais modelos XS e XS Max, os quais oferecem 4GB.

Quanto ao próspero chip “A13”, o resultado indica que o componente manterá os seis núcleos, presumivelmente com a mesma arquitetura do chip A12 Bionic — com dois núcleos de alto desempenho e quatro de alta eficiência.

No quesito velocidade, os usuários poderão se “decepcionar” com a performance do próximo modelo de entrada da Maçã; segundo os resultados do benchmark, o sucessor do iPhone XR obteve uma pontuação single-core de 5.415 (aumento de 12%), seguida de uma pontuação 11.294 no teste multi-core (aqui, nenhum aumento significativo).

O designer e entusiasta do mundo da Apple, Ben Geskin, não ficou muito contente com os resultados:

https://twitter.com/BenGeskin/status/1168773549605249025
Provável pontuação Geekbench do novo iPhone 11 e do chip A13 (sucessor do XR)
Aumento de 12% na pontuação single-core, performance multi-core praticamente a mesma. 😢
RAM aumentada de 3GB para 4GB

Nem tudo está perdido, entretanto. Como informamos há alguns dias, o novo chip dos próximos iPhones deverá incluir um coprocessador dedicado para alguns propósitos; querendo ou não, esse tipo de tecnologia refletirá na performance de certas tarefas, o que não é mostrado em testes gerais de benchmark.

Além disso, por mais legítimo que possa parecer, há sempre a chance de que as informações enviadas para o Geekbench tenham sido adulteradas. Contudo, se real, esse poderá ser o menor salto no desempenho da CPU2 do iPhone na história recente. Veremos.

via MacRumors

Posts relacionados

Comentários