Touch ID e Face ID em iPhones

O debate entre os sistemas de autenticação biométrica que equipam os dispositivos da Apple (o Touch ID e o Face ID) continua mesmo dois anos após a apresentação do iPhone X, o qual introduziu a primeira versão do método de desbloqueio facial da Maçã — que até hoje é questionado por alguns usuários.

Para convencer as pessoas de que ambos os métodos são válidos, o vice-presidente de marketing da Apple, Greg Joswiak, repassou, em uma entrevista para o Daily Express, pela criação (e implantação) do Face ID — além de afirmar que o Touch ID ainda terá um importante papel nos futuros lançamentos da companhia.

Certamente, continuaremos a implantar o Face ID em mais dispositivos, mas o Touch ID continuará a desempenhar um papel importante. O [Touch ID] é uma ótima tecnologia para a nossa linha de iPads e não a vemos desaparecer tão cedo.

Joswiak contou que o Touch ID foi o primeiro sistema de segurança biométrico convencional da Apple e que ele foi muito bem recebido pelos usuários: “Isso mudou a maneira como as pessoas protegiam seus dispositivos, porque naquela época, mesmo que seja difícil de imaginar, muitas nem tinham uma senha.”

Após quatro anos adotando o Touch ID como o método principal de autenticação dos iPhones e expandindo-o para iPads e Macs, o executivo da Maçã contou que a companhia queria melhorar ainda mais a segurança biométrica com “algo mais seguro e mais conveniente de usar”, dando origem, então, ao Face ID.

Nós oferecemos o Face ID pela primeira vez há dois anos com o iPhone X e achamos que ele era ainda mais natural do que o Touch ID, desbloqueando seu dispositivo apenas com o olhar.

Explicando o porquê de outros fabricantes de smartphones não terem investido (como a Apple) na biometria facial, Joswiak contou que o custo para um sistema como o Face ID é muito alto — valorizando também a tecnologia embutida no recorte frontal dos iPhones.

Nossos concorrentes pensam que podem criar algo semelhante com uma única câmera e isso é muitas vezes o que eles querem fazer. Infelizmente, há uma razão pela qual isso é caro; há uma razão pela qual eles [os iPhones] têm todos esses componentes […]. É bom dar um passo atrás e observar a quantidade de tecnológica daquela pequena área do entalhe na parte frontal do iPhone. Existe muita tecnologia importante e sofisticada lá dentro. Há um alto-falante, um microfone, um sensor de luz ambiente e um sensor de proximidade, além de todos os componentes de digitalização do Face ID.

Nesse sentido, eles afastou todos os rumores sobre a Apple tentar imitar a OPPO (e outras fabricantes) ao adicionar uma câmera retrátil ao iPhone para eliminar o notch: “Eu daria crédito às pessoas por tentarem coisas novas, a competição é o que faz o mundo girar e nos torna melhores, mas isso não é algo que veremos em breve.”

Se a Apple continuará adotando o Touch ID da forma como o conhecemos ainda é um mistério, ainda mais considerando alguns rumores que vieram à tona recentemente acerca da possibilidade de a companhia implantar um novo leitor de impressões digitais sob a tela dos futuro iPhones, em adição ao Face ID.

via AppleInsider

Posts relacionados

Comentários