Wi-Fi 6 é lançado oficialmente; novos iPhones já incorporam o padrão O período de transição será longo, porém suave

iPhone com Ajustes abertos no Wi-Fi em cima de um MacBook Pro

Já faz quase um ano desde que falamos aqui pela primeira vez sobre o Wi-Fi 6 — e, mais precisamente, sobre a mudança feita pela Wi-Fi Alliance (rede de empresas responsável pelo desenvolvimento da tecnologia) que tornou a nomenclatura das versões do protocolo muito mais amigável e fácil de entender. De lá para cá, o Wi-Fi 6 ainda estava em fases finais de ajuste, mas agora ele está oficialmente lançado.

Na prática, várias fabricantes já estavam trabalhando com o Wi-Fi 6 há alguns meses para adicioná-los em seus produtos (basta notar que o Samsung Galaxy S10, de março passado, já traz suporte a ele); a diferença é que, agora, elas podem incorporar a marca no marketing de dispositivos compatíveis, com dizeres como “Wi-Fi 6 Certified” ou frases do tipo.

No caso da Apple, os iPhones 11, 11 Pro e 11 Pro Max — que serão oficialmente lançados nesta sexta-feira (20/9) — já abraçam a nova tecnologia, como destacamos. Ou seja, os novos smartphones da Maçã meio que “carregarão a bandeira” do Wi-Fi 6, já que o lançamento deles quase coincidirá com a chegada oficial do protocolo.

Apesar disso, a Apple continuará sem destacar essas informações no marketing dos produtos — o Wi-Fi 6 está notado na página de especificações dos novos iPhones, mas somente lá e em nenhum outro local. Oficialmente, a Wi-Fi Alliance afirma que o primeiro produto compatível com o Wi-Fi 6 é o Galaxy Note10.

O que muda?

Para início de conversa, não precisa se preocupar: o Wi-Fi 6 é retrocompatível com as versões anteriores do protocolo, então você pode usar normalmente seus dispositivos antigos em redes baseadas no novo padrão — ou, da mesma forma, conectar seus aparelhos mais recentes em redes baseadas em versões anteriores.

A única forma de aproveitar plenamente os benefícios do Wi-Fi 6, entretanto, é tendo um roteador e aparelhos (smartphone, tablet, computador, TV ou o que for) compatíveis com o padrão.

Sobre os benefícios em si, eles são relacionados basicamente a velocidade e eficiência. O novo padrão traz uma velocidade teórica máxima de 9,6Gbps, contra 3,5Gbps do Wi-Fi 5 — o que não chega a representar uma vantagem real, já que basicamente nenhuma conexão doméstica chega a esses números.

Mais importante é perceber que o Wi-Fi 6 é mais inteligente ao distribuir a sua rede em uma grande quantidade de dispositivos — isso sim é importante, considerando que hoje em dia todo tipo de aparelho conecta-se ao Wi-Fi, desde o seu notebook até a torradeira. Portanto, o novo padrão é um excelente aliado dos protocolos de automação doméstica, como o HomeKit, e da chamada “internet das coisas”.

Boas novas, não?

via The Verge

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários