Siri em breve se adaptará aos seus apps favoritos de mensagens e chamadas Assistente virtual aprenderá ainda mais sobre seus hábitos de comunicação

Para quem diz que a Apple é inflexível, uma futura ação da companhia, anunciada hoje, mostra que ela está mais do que disposta a encontrar um meio-termo para ajudar os usuários (e desenvolvedores) em prol da inércia dos seus sistemas, principalmente em relação à Siri.

Não entendeu muito bem? Explico: em uma reportagem publicada hoje cedo pela Bloomberg, a gigante de Cupertino foi questionada sobre o aumento do número de apps próprios pré-instalados em seus gadgets, e a impossibilidade de usar apps de terceiros como opções padrões em vez dos recursos nativos. Eis que, logo após a indagação, a Apple divulgou um comunicado para o veículo confirmando que uma futura atualização do iOS “afrouxará” as restrições de suporte da Siri a apps de mensagens de terceiros.

Isso significa que, quando a atualização for lançada, a Siri adotará como padrão os apps de mensagens mais utilizados. Nesse sentido, se alguém utiliza o WhatsApp mais do que o iMessage para se comunicar com outra pessoa, por exemplo, a Siri iniciará uma nova conversa pelo WhatsApp. Naturalmente, os desenvolvedores precisarão implementar e ativar a nova funcionalidade da Siri em seus aplicativos quando ele for disponibilizado.

Atualmente, quando usuários de iPhones solicitam à Siri que ligue ou envie uma mensagem para alguém, o sistema utiliza, por padrão, os apps Telefone e Mensagens, da Apple; contudo, se você deseja usar o WhatsApp ou o Skype, é preciso dizer isso especificamente. Ainda segundo a Maçã, essa funcionalidade também será expandida para chamadas feitas por meio de apps de telefone de terceiros, mas não foi informado quando isso ocorrerá.

Vale enfatizar ainda que não será possível definir apps de terceiros como padrão em um iPhone, em vez disso, a Siri (presumivelmente a partir do aprendizado de máquina) entenderá as suas preferências e indicará, com base no seu uso, qual app de mensagens usar. Não obstante, a novidade certamente contribuirá (e muito) para a experiência de usuário, tornando esse processo ainda mais simples e intuitivo.

Em nota, a Apple também respondeu à acusação antitruste por supostamente “priorizar” os seus apps em face a outros disponíveis na App Store. Confira a resposta completa a seguir:

A Apple oferece aos seus usuários uma experiência que só é possível com a integração entre hardware, software e serviços. Desde o primeiro iPhone, incluímos aplicativos para oferecer aos clientes uma ótima experiência para fazer ligações, reproduzir músicas, navegar na web e muito mais. Com cada geração do iPhone, aprimoramos os recursos internos para nossos clientes com alguns aplicativos padrões projetados para oferecer um ótimo desempenho, poupar o uso da bateria, integrar diversos recursos e proteger [os usuários] com tecnologias de ponta em segurança e privacidade. Também criamos a App Store, o local mais seguro para obter aplicativos, para que os clientes possam escolher entre milhões de apps e encontrar aqueles que melhoram ainda mais os seus iPhones. Nas poucas categorias em que a Apple também possui um aplicativo, temos muitos concorrentes bem-sucedidos e estamos orgulhosos de que o sucesso deles seja responsável por quase 2 milhões de empregos nos EUA em um próspero mercado de bilhões de dólares para desenvolvedores. Nossa estrela-guia é sempre criar os melhores produtos para nossos clientes, e é por isso que o iPhone tem a maior satisfação de clientes do setor.

Ainda não se sabe exatamente em qual atualização (ou quando) a nova funcionalidade será lançada, apenas que isso ocorrerá ainda neste ano. Como dissemos, entretanto, não basta ela ser disponibilizada, já que os desenvolvedores deverão implementá-la em seus apps — logo, esse pode ser um processo bastante rápido, ou bem demorado.

via MacRumors

Posts relacionados

Comentários