Russo processa a Apple por “torná-lo gay” [atualizado] Agora as criptomoedas estão ajudando as pessoas a "saírem do armário"

Acreditem se quiser (e eu não culparia vocês caso não acreditassem), mas um russo entrou com uma ação contra a Apple por danos morais, alegando que um app para iOS “havia tornado-o gay”, de acordo com a agência de notícias AFP (via The Telegraph). Seja como for, a máxima ainda é válida: outro dia, outro processo.

Se a acusação por si só já não fosse absurda, a razão por trás dela é ainda pior: segundo o processo, o homem, identificado como D. Razumilov, encomendou uma quantidade de Bitcoins por meio de um app não-especificado para iOS, mas no lugar dessa criptomoeda ele recebeu uma quantidade de “GayCoins”. Uma nota enviada com a transferência dizia: “Não julgue até tentar.” Dito e feito.

Pensei, na verdade, como posso julgar algo sem tentar? Decidi experimentar relações homoafetivas. Agora eu tenho um namorado e não sei como explicar isso aos meus pais. Minha vida mudou para pior e nunca mais se tornará normal.

Mais precisamente, ele acusou a Apple de “empurrá-lo para a homossexualidade”:

A Apple me empurrou para a homossexualidade por meio da manipulação. Essa mudança me causou danos morais e mentais.

Como toda boa defesa, a advogado do jovem, Sapizhat Gusnieva, disse à AFP que o caso é “sério” e que seu cliente estava “assustado” (imaginem o namorado dele, então). Embora a compra da criptomoeda tenha sido realizada por meio de um app de terceiros, Gusnieva afirma que a Maçã é “responsável pelos aplicativos distribuídos em sua loja”.

Pelo “dano moral”, Razumilov requer 1 milhão de rublos (cerca de R$63 mil), o que nos faz questionar se a real motivação do processo não seja, talvez, desespero por algum trocado dos muitos bilhões que a Maçã tem em caixa.

Um tribunal na Rússia deverá ouvir o caso ainda este mês. A situação é ainda mais inusitada pois o governo russo possui leis rígidas que vetam qualquer tipo de manifestação homossexual, incluindo o que eles chamam de “propaganda gay”. A Apple, por sua vez, é uma empresa abertamente inclusiva e, no passado, criticou os casos de homofobia na Rússia.

via AppleInsider

Atualização, por Eduardo Marques 17/10/2019 às 10:58

De acordo com a AFP (via UOL), o russo desistiu do processo. Após uma primeira audiência realizada a portas fechadas e na qual o denunciante não esteve presente, a advogada anunciou que seu cliente retirou a denúncia em razão do interesse da mídia.

“Concluímos que era necessário encerrar o caso, porque a próxima audiência seria pública e suas informações pessoais seriam divulgadas”, afirmou a advogada à AFP.

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários