Na semana passada, comentamos uma “falha” (ou melhor, a ausência de um recurso) envolvendo o “Face ID” do Pixel 4 a qual possibilita que o gadget seja desbloqueado mesmo se os olhos dos usuários estejam fechados, abrindo uma brecha para que esses dispositivos sejam invadidos por qualquer um que posicione o aparelho na frente do rosto do dono (quando a pessoa está dormindo, por exemplo).

Agora, o Google informou que lançará uma atualização de software para corrigir isso — mas, infelizmente, o prazo para que essa correção chegue aos usuários é maior do que muitos gostariam. Segundo a empresa, uma nova opção a qual exigirá que os olhos do usuário estejam abertos para desbloquear o smartphone está sendo desenvolvida e chegará “nos próximos meses”.

O método de biometria facial do Pixel 4 substituiu, como nos iPhones (desde o X), o leitor de impressões digitais e funciona de maneira semelhante ao Face ID. Entretanto, o recurso de segurança da Maçã exige, por padrão, que os olhos dos usuários estejam abertos para desbloquear o aparelho (ou, como descrito pela empresa, requer a “atenção” do usuário) — ainda que seja possível desativar essa opção nos ajustes do Face ID. O Google, por sua vez, não fornece essa opção de segurança.

A gigante de Mountain View falou que o seu recurso de autenticação biométrica “foi projetado para melhorar com o tempo em futuras atualizações de software”, mas não comentou quando (ou mesmo se) a opção para exigir os olhos abertos seria implementada. Com a repercussão negativa dessa questão envolvendo o Pixel 4, no entanto, a empresa fez questão de deixar claro que a camada extra de segurança está a caminho:

Estamos trabalhando em uma opção para os usuários exigirem que seus olhos estejam abertos para desbloquear o telefone, a qual será entregue em uma atualização de software nos próximos meses. Enquanto isso, se algum usuário do Pixel 4 estiver preocupado com a possibilidade de alguém pegar seu telefone e tentar desbloqueá-lo enquanto seus olhos estão fechados, eles podem ativar um recurso de segurança que requer um PIN, um desenho ou uma senha para desbloqueá-los.

Apesar das implicações de segurança do método de desbloqueio do Pixel 4, o Google ainda afirma que o recurso “atende aos requisitos de segurança como uma forma de autenticação biométrica forte” e que ela pode ser usada para pagamentos e autenticação em apps. Além disso, o Google garante que o seu sistema não é suscetível a outros métodos que tentam burlá-lo, como o uso de máscaras, fotografias, etc.

via The Verge

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários