Gene Levoff

Em fevereiro passado, comentamos um caso que chamou a atenção da mídia: o advogado e ex-vice-presidente de direito corporativo da Apple, Gene Levoff, foi acusado de insider trading. Em uma clara traição contra a Maçã, Levoff foi processado e, agora, indiciado por se beneficiar de informações restritas da gigante de Cupertino em seus negócios particulares. As informações são da CNBC.

Publicidade

Mais precisamente, Levoff usou tais informações, incluindo resultados financeiros da companhia antes de eles serem divulgados publicamente, para vender ações da empresa durante períodos de “blackout” (quando nenhum funcionário da companhia pode comprar ou vender seus papéis), bem como para comprá-las durante os melhores trimestres fiscais. Além de insider trading, Levoff também enfrenta seis acusações de fraude.

Esse esquema de fraude permitiu que Levoff obtivesse lucros de aproximadamente US$227.000 em determinadas operações e evitasse perdas de aproximadamente US$377.000 em outras.

Como dissemos, a Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos (Securities and Exchange Commission, ou SEC) acusou Levoff oficialmente em fevereiro; de acordo com o justiça americana, o crime de insider trading pode acarretar em uma pena máxima de 20 anos de prisão, além de multas.

Levoff foi um dos principais advogados da Apple; ele ingressou na companhia em 2008 e foi diretor sênior de direito corporativo de 2013 a 2018, sendo que as transações ilegais supracitadas ocorreram em 2011 e em 2016. O mais irônico de tudo isso é que a função de Levoff como advogado da Maçã era justamente impedir que os funcionários realizassem insider trading (talvez por isso mesmo ele achou que fosse sair impune).

Publicidade

A Apple não comentou o desdobramento do caso; em fevereiro, a companhia disse que denunciou Levoff após ser contatada pelas autoridades, o que resultou numa investigação interna e na recisão do contrato do executivo.

via iDownloadBlog

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…