Google compra a Fitbit por US$2,1 bilhões Uma união com o intuito de destronar a Apple e a Xiaomi no mercado de vestíveis

No começo desta semana, surgiram especulações e indícios de que o Google estava de olho nas atividades da Fitbit (fabricante americana de gadgets de monitoramento de atividades físicas). Hoje, a aquisição foi oficialmente anunciada pela gigante de Mountain View.

De acordo com a notícia, divulgada pelo próprio Google, o acordo foi avaliado em US$2,1 bilhões e beneficiará, naturalmente, tanto eles próprios quanto a Fitbit. Nesse sentido, a gigante de Mountain View ganhará espaço no mercado de vestíveis, graças à participação da Fitbit, que por sua vez também catapultará os seus negócios, podendo competir diretamente com o Apple Watch.

Assinamos um contrato para adquirir a @Fitbit. Juntos, nosso objetivo é estimular a inovação em dispositivos vestíveis e criar produtos úteis para beneficiar mais pessoas em todo o mundo.

O chefe de hardware e serviços do Google, Rick Osterloh, comentou a compra da Fitbit, reafirmando que o acordo contribuirá ainda mais para a inovação da empresa no mercado de vestíveis, além de expandir o uso do Wear OS:

Ao longo dos anos, o Google progrediu com parceiros nesse mercado [de vestíveis] com o Wear OS e o Google Fit, mas vemos uma oportunidade de investir ainda mais no Wear OS e de introduzir no mercado dispositivos vestíveis feitos pelo Google. A Fitbit foi uma pioneira nesse setor e criou produtos, experiências e uma comunidade vibrante de usuários. Trabalhando em estreita colaboração com a equipe de especialistas da Fitbit e reunindo as melhores tecnologias em inteligência artificial, software e hardware, podemos ajudar a estimular a inovação dos vestíveis e criar produtos para beneficiar ainda mais pessoas em todo o mundo.

O diretor executivo da Fitbit, James Park, destacou os avanços da empresa ao longo de mais de uma década e ressaltou que, por meio da parceria com o Google, a Fitbit “acelerará na inovação de vestíveis”:

Há mais de 12 anos, estabelecemos uma visão audaciosa na empresa — tornar todos no mundo mais saudáveis. Hoje, estou incrivelmente orgulhoso do que alcançamos para viabilizar esse objetivo. Criamos uma marca confiável que ajuda mais de 28 milhões de usuários ativos em todo o mundo que confiam em nossos produtos para viver uma vida mais saudável e ativa. O Google é um parceiro ideal para avançar em nossa missão. Com os recursos e a plataforma global do Google, a Fitbit poderá acelerar a inovação na categoria de vestíveis, escalar mais rapidamente e tornar a saúde ainda mais acessível a todos. Eu não poderia estar mais animado para o que virá pela frente.

Apesar de não vender seus dispositivos oficialmente no Brasil, a Fitbit é a quarta maior fabricante de vestíveis do mundo, atrás apenas da Xiaomi, da Apple e da Huawei, como mostrou uma pesquisa recente da IDC. O último lançamento da fabricante foi o Fitbit Versa 2, o qual inclui suporte à Alexa (assistente pessoal da Amazon), monitoramento de sono, sensor de batimentos cardíacos, monitor de atividades físicas, etc.

Fitbit Versa 2

O executivo do Google também se adiantou às possíveis críticas e indagações sobre o uso de dados de usuários coletados pelos dispositivos da Fitbit, afirmando que a empresa “não usará essas informações para os anúncios do Google”. Osterloh completou, afirmando que os usuários da Fitbit poderão optar por mover, analisar ou apagar os dados da Fitbit dos servidores do Google.

Espera-se que o acordo seja concluído em algum momento no ano que vem, uma vez que esse tipo de transação exige a análise e a aprovação dos acionistas da empresa e de órgãos reguladores americanos.

via TechCrunch

Posts relacionados

Comentários