SoftBank

A Apple e a Intel se uniram nos tribunais contra o Fortress Investment Group, uma empresa subsidiada pela gigante de telecomunicações japonesa SoftBank, como informado pela Reuters.

De acordo com a notícia, a gigante de Cupertino alega que o Fortress é essencialmente uma “patent troll”, termo atribuído a empresas e entidades que adquirem patentes de terceiros, sem produzir bem nenhum, justamente para denunciar aqueles que, eventualmente, infringi-las.

No caso da Apple, existe um apanhado de empresas que se aproveitam desse método para colocá-las nos tribunais em busca do pagamento de royalties para, é claro, se aproveitar do caixa bilionário da gigante de Cupertino.

Ainda segundo o processo, a Apple e a Intel alegam que as entidades apoiadas pelo Fortress “exigiram bilhões de dólares” das duas empresas ao longo dos anos, forçando-as a “gastar milhões em recursos externos”, como advogados e testemunhas especializadas para se defenderem das acusações feitas pela patent troll.

Em um desses casos, a Apple havia sido intimada a pagar até US$2,75 por dispositivo vendido que infringia as patentes do Fortress. Segundo a Maçã, esses números foram inventados e a patent troll usou a mesma abordagem da Samsung num conhecido processo entre as duas gigantes da tecnologia — o qual foi encerrado no meio do ano passado, após sete anos.

Infração de patentes de VoIP

Em outros casos judiciais, a Maçã se livrou de um processo envolvendo supostas infrações de patentes de VoIP1 mantidas pela Voip-Pal após um juiz da Califórnia considerar as acusações “muito genéricas” — como informou o Law3602. Além da Apple, a Amazon também estava sob o mesmo alvo da Voip-Pal e se livrou de mais esse imbróglio.

A Voip-Pal já havia processado a Apple múltiplas vezes, sempre alegando que a companhia infringia quatro patentes de VoIP sob sua propriedade a partir de recursos como o iMessage, o FaceTime e as Ligações Wi-Fi do iPhone. A empresa, no entanto, nunca teve sucesso nos tribunais, tendo perdido casos semelhantes contra a AT&T, a Verizon e outras.

Tamanho da tela dos iPhones

Outra decisão judicial favoreceu a Maçã, mais precisamente com relação a uma ação coletiva que teve início no fim de 2018 acerca do tamanho da tela dos iPhones de OLED3. Como informamos, os usuários alegavam que a Apple teria mentido ao informar o tamanho do display dos seus aparelhos devido ao recorte frontal deles, conhecido como notch.

No começo de outubro passado, o juiz responsável pelo caso inferiu que ninguém estava, de fato, preocupado com o tamanho da tela e quanto o notch ocupava dela, como noticiado pelo Law3604. Só agora, porém, o caso foi encerrado e os autores do processo que queriam expandi-lo para uma ação coletiva de âmbito nacional foram impedidos de dar sequencia à ação.

via 9to5Mac, Bloomberg Law, Apple World Today

Posts relacionados

Comentários