Aos 45 minutos do segundo tempo, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou ontem um acordo comercial com Pequim que cancela a última rodada de tarifas sobre produtos fabricados na Chinainformou a Bloomberg. A notícia é especialmente um alívio para a Apple, pois com isso a empresa se livra (por pouco) de uma grande taxação que poderia atrapalhar suas vendas de fim de ano.

Publicidade

Como noticiamos, as novas tarifas deveriam entrar em vigor no dia 15 de dezembro (sim, depois de amanhã) e poderiam acrescentar cerca de US$150 aos preços de iPhones. Ao contrário do que vem fazendo com outros produtos que já estão sendo tarifados, a gigante de Cupertino provavelmente iria repassar esses impostos aos consumidores — os quais portanto também saíram beneficiados pela decisão de Trump, como ressaltou o analista da Wedbush Securities, Dan Ives:

Trump deu um presente de Natal antecipado à Apple. Se essa tarifa fosse aprovada, teria sido um grande golpe contra a Apple e poderia ter causado um grande problema na cadeia de fornecedores e na demanda para a temporada de férias.

Na realidade, a situação da Maçã era bem mais complicada: se ela repassasse os custos das tarifas para os consumidores, as vendas cairiam; contudo, se ela não alterasse o preço final, a companhia enfrentaria um problema com seus acionistas, pois o lucro por ação da $AAPL poderia tombar cerca de 4% no próximo ano. Era aquilo: se ficar o bicho pega, se correr o bicho come.

A Apple já está pagando impostos adicionais pelos Apple Watches, AirPods, iMacs e HomePods — mas é provável que até mesmo essas tarifas sejam revertidas, segundo a Bloomberg. Isso é esperado pois o acordo fechado entre os EUA e a China inclui uma promessa dos chineses de comprar mais produtos agrícolas da terra do tio Sam, e tudo envolvendo a guerra comercial entre os dois países é na base do “toma lá, dá cá”.

Mais do que o impacto negativo no próspero período de compras, o acordo certamente teve a influência dos múltiplos encontros entre Trump e o CEO1 da Apple, Tim Cook, neste ano. Em agosto passado, o presidente americano afirmou que o executivo teria feito um “bom argumento” ao dizer que as novas tarifas sobre os iGadgets colocariam a Maçã em desvantagem quanto às suas rivais, como a Samsung.

Desde então, Trump tem mudado o tom de suas falas acerca dos produtos da gigante de Cupertino, o que culminou nessa importante (e libertadora) decisão em benefício da Apple. Agora, resta-nos acompanhar os próximos episódios dessa briga de Titãs — e esperar que eles sejam ainda mais positivos.

Imagem: Bloomberg

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…