Após seu tour (de várias paradas) pela Ásia, o CEO1 da Apple, Tim Cook, voltou aos Estados Unidos — mas não para descansar. Ontem (16/12), o executivo se encontrou com a ativista paquistanesa Malala Yousafzai, e a diretora da Universidade Estadual de San Jose (SJSU) Mary Papazian, para discutir a parceria entre a Maçã e a ativista com o Fundo Malala — além de falar sobre educação e tecnologia.

Publicidade

Para quem não sabe, a gigante de Cupertino anunciou, no início de 2018, uma parceria com o Fundo Malala, uma iniciativa que promove o ensino para milhões de jovens mulheres em todo o mundo, dando-lhes acesso a educação e ferramentas necessárias para um aprendizado de qualidade.

Durante o evento de ontem, Cook divulgou novamente o trabalho da Apple com o Fundo, dizendo que ambas as instituições estão trabalhando para ajudar 130 milhões de meninas a se manterem nas escolas.

@Malala é uma defensora incomparável do acesso à educação — um direito humano básico. A Apple tem orgulho de continuar nossa parceria com o @MalalaFund para ajudar 130 milhões de meninas a obter uma educação segura e de qualidade. Obrigado @PrezPapazian e à comunidade @SJSU por nos receberem hoje!

O executivo também relembrou o compromisso da Apple com educação — principalmente em se tratando de programação, a partir dos programas oferecidos pela companhia em diversas instituições de ensino ao redor do mundo.

Publicidade

Educação está embutida no DNA da Apple… [educação] é a grande chave. Se você oferece isso, conserta muitas outras lutas. Tentamos nos concentrar no ensino de habilidades de programação para todos. Todos devem aprender a codificar antes de se formarem.

Nesse sentido, a gigante de Cupertino ajudou o Fundo Malala a acompanhar o desenvolvimento das tecnologias e do mundo em geral por meio do financiamento de atividades e orientação, como destacou Malala:

A tecnologia está mudando em um ritmo muito rápido, precisamos orientar nossa educação para isso. Tomamos como certo que a educação não é possível em alguns lugares, como campos de refugiados, mas a tecnologia pode mudar isso. A Apple ajudou a expandir e ajudar a nossa visão a crescer.

O evento, aberto para os estudantes da SJSU, também contou com a participação do público. Durante o momento para perguntas, um aluno da instituição perguntou para Cook sobre o papel do governo na regulação da tecnologia, dando a deixa para que o executivo falasse sobre privacidade.

Privacidade deve ser regulamentada. Vemos isso como um direito humano fundamental. Preocupo-me com um mundo em que a vigilância é a norma.

Em meados do ano passado, durante sua visita ao Brasil, Malala anunciou que a sua fundação também contemplaria o ensino a desenvolvedoras no país a partir das Apple Developer Academies espalhadas por aqui.

Publicidade

via MacRumors

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…