Hacker que tentou chantagear a Apple é sentenciado a dois anos de prisão Kerem Albayrak, de 22 anos, dizia ter acesso a uma grande quantidade de informações de contas armazenadas no iCloud e planejava tirar proveito disso

Privacidade - Apple

A Agência Nacional de Crime do Reino Unido (National Crime Agency) soltou uma nota para a imprensa informando que, após investigação, um hacker que tentou chantagear a Apple foi sentenciado à prisão. As informações são do Business Insider.

Publicidade

Kerem Albayrak, de 22 anos, dizia ter acesso a uma grande quantidade de informações de contas armazenadas no iCloud e planejava tirar proveito disso. Inicialmente, ele exigiu US$75.000 em criptomoedas ou 1.000 cartões-presente de US$100 do iTunes da Maçã para se livrar dos dados.

Caso o seu pedido não fosse atendido, o hacker ameaçou redefinir 319 milhões de contas do iCloud, disponibilizando ainda todas as informações online.

O caso

Tudo começou em 12 de março de 2017, quando ele enviou um email à equipe de segurança da Apple alegando ter detalhes das contas iCloud que planejava vender online; uma semana depois, se filmou acessando duas contas — aparentemente aleatórias — do iCloud. Ele então publicou o vídeo no YouTube e enviou tudo para a equipe de segurança da Maçã e para alguns veículos da mídia. Dois dias depois, ele aumentou o pedido da recompensa para US$100.000.

Publicidade

A Apple, então, contatou os órgãos de segurança dos Estados Unidos e do Reino Unido — com a NCA liderando a investigação no país europeu.

No dia 28 de março de 2017, policiais da Unidade Nacional de Crime Cibernético da NCA prenderam Albayrak em sua casa (norte de Londres); com ele, diversos dispositivos foram apreendidos, incluindo telefone, computadores e HDDs1.

Os investigadores da NCA encontraram ainda registros telefônicos mostrando que Albayrak era o porta-voz de um grupo de hackers que se autodenominava “Família Turca do Crime”.

Publicidade

Segundo a agência, não havia sinais de que os dados das contas iCloud foram mesmo comprometidos. Aparentemente, as informações armazenadas por Albayrak eram, na verdade, de serviços de terceiros anteriormente vazados/invadidos, os quais estavam inativos.

A sentença

Em 2 de dezembro de 2019, Albayrak se declarou culpado. Na última sexta-feira (20/12) ele foi sentenciado a dois anos de prisão, 300 horas de trabalho não-remunerado e a um toque de recolher (monitorado eletronicamente) de seis meses.

via 9to5Mac

Publicidade

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…