Governo brasileiro fez 703 solicitações à Apple sobre 2.858 aparelhos no 1º semestre de 2019

Semestralmente, a Apple publica um relatório que detalha o número de solicitações de dados de dispositivos feitas por instituições governamentais — e quantas foram respondidas, uma vez que a companhia pode (ou não) fornecer informações pessoais de usuários em determinadas situações.

Essa questão é explicada logo no parágrafo introdutório do relatório, no qual a empresa destaca seu comprometimento com a segurança e a privacidade das informações dos seus clientes. Além disso, a empresa disse que o seu último relatório [PDF] abrange solicitações feitas entre 1º de janeiro e 30 de junho de 2019.

A Apple está comprometida em proteger seus dados e trabalhamos duro para fornecer o hardware, o software e os serviços mais seguros disponíveis. Acreditamos que nossos clientes têm o direito de entender como seus dados pessoais são gerenciados e protegidos. Este relatório fornece informações sobre solicitações recebidas pela Apple de agências governamentais de todo o mundo e de entidades privadas dos Estados Unidos.

Durante o período supracitado, a Apple informou que os governos fizeram 31.778 solicitações sobre dados — cerca de 500 pedidos a mais do que o primeiro semestre de 2018. Já as informações requeridas, por sua vez, abrangeram mais de 195 mil dispositivos, sendo que a Maçã respondeu 82% dessas solicitações.

Entre os países descritos, a Alemanha foi aquele que fez o maior número de pedidos: pouco mais de 13.500; enquanto isso, os EUA fizeram 4.796 solicitações. Já aqui, no Brasil, o governo fez mais de 703 solicitações abrangendo um total de 2.858 dispositivos, com a Apple respondendo 601 delas.

A empresa afirmou que grande parte dos dados requisitados pelos países está associada a dispositivos sob alguma investigação — geralmente, casos de perda/roubo, bem como problemas de fraude. Ademais, os governos solicitaram informações sobre contas do iCloud e do iTunes, sendo que a companhia recebeu 6.480 desses pedidos nos seis primeiros meses de 2019.

Quanto à App Store, a Maçã diz que recebeu um total de 70 pedidos de remoção de apps por “violações legais”. A maioria desses pedidos veio da China, de onde foram feitas 56 solicitações. Também houve cerca de 25 solicitações de remoção da App Store por “violações da política da plataforma”, e mais uma vez a China liderou o ranking, com 22 pedidos.

Confira o relatório completo [PDF, em inglês].

via CNET

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários