Wistron inaugura terceira fábrica na Índia e acelerará montagem de iPhones no país Enquanto isso, a Foxconn continua com problemas em Wisconsin

Já faz quase um ano desde que falamos aqui sobre os planos da Wistron, parceira taiwanesa da Apple, de aumentar a produção de iPhones em suas fábricas na Índia — incorporando, inclusive, a produção de modelos mais caros, como o iPhone 8 e o iPhone XR. O planejamento foi um sucesso e está chegando agora ao seu próximo passo, como informou o DigiTimes.

De acordo com o veículo, a Wistron inaugurou recentemente a sua terceira fábrica em território indiano, na cidade de Narasapura (próxima a Bangalore, onde estão localizadas as outras duas instalações). Após uma rodada de testes, o complexo já começou a produção de iPhones, aumentando ainda mais a quantidade de smartphones da Maçã saídos da Índia.

Wistron

Segundo a reportagem, a nova fábrica começará produzindo iPhones de custo médio, como o iPhone 8; os cargos de chefia e gerência da instalação serão ocupados por talentos locais, em vez de funcionários taiwaneses da Wistron. Vale notar que os demais complexos da empresa na Índia fabricam iPhones de categorias inferiores, como o SE e o 6s — ambos ainda vendidos no país.

As notícias são ótimas para a Apple, que tem feito de tudo para superar as políticas protecionistas implementadas nos últimos anos pelo governo indiano; com a aceleração da produção de iPhones no país, a empresa poderá desfrutar de uma relação mais amigável com o primeiro-ministro Narendra Modi — e, quem sabe, viabilizar a construção da primeira loja oficial da Maçã por lá.

Foxconn em Wisconsin

Enquanto a fábrica da Wistron em Narasapura vai de vento em popa, o mesmo não pode ser dito do complexo da Foxconn (outra grande parceira da Apple) no estado de Wisconsin (Estados Unidos). No início do ano passado, a empresa reduziu drasticamente os planos para a fábrica, cujo investimento inicial seria de US$10 bilhões; agora, o CEO Terry Gou prometeu que a instalação começará a operar ainda em 2020.

Terry Gou

Em declarações à Bloomberg, Gou afirmou que a fábrica focará em aplicações de inteligência artificial e dispositivos sem fio; o CEO revelou que passará boa parte do ano nos EUA e levará mais empregados da Foxconn para o país.

Não há informações, entretanto, se a fábrica americana da Foxconn — caso realmente venha a operar — lidará com algum produto ou tecnologia da Apple. A empresa já descartou fabricar telas de iPhones por lá e, desde então, ficou incerto se a Maçã teria algo a ver com a malfadada empreitada. Teremos que ficar de olho nessa história, pelo visto.

via iClarified, Cult of Mac

Posts relacionados

Comentários