Vendas de iPhones poderão cair 10% em decorrência do Coronavírus

iPhones expostos em loja da Apple

Se os negócios da Apple na China estavam melhorando, desde meados de janeiro eles vêm de mal a pior — devido a “forças maiores”, por assim dizer. Falo, naturalmente, do surto de Coronavírus no país, onde mais de 17 mil pessoas estão infectadas e mais de 300 já morreram, de acordo com dados do Worldometer.

Como informamos, o surto pode ter afetado a produção da empresa no país — porém, não iria demorar muito para que eles começassem a prejudicar as vendas também. É isso que o analista da TF Internacional Securities Ming-Chi Kuo abordou no seu relatório mais recente, divulgado pelo MacRumors.

Segundo Kuo, as vendas de iPhones durante o primeiro trimestre deste ano poderão cair 10%, para 36 milhões de unidades, em decorrência do surto da doença na China. Na melhor das hipóteses, a companhia poderá comercializar até 40 milhões de dispositivos até o fim de março.

Kuo também sugeriu que a produção do suposto “iPhone 9” já tenha se iniciado, mas que isso poderá ser interrompido em decorrência do isolamento que diversas cidades chinesas estão enfrentando; ainda assim, ele afirmou que a Apple poderá apresentar o seu possível novo modelo de entrada em março (com uma certa defasagem no fornecimento, inicialmente, até que a produção possa aumentar).

Na semana passada, Kuo apostou em sete possíveis lançamentos da Maçã para este semestre, incluindo novos iPads, MacBooks e fones de ouvido sem fio — além das “AirTags” e de uma nova base de carregamento sem fio. O lançamento desses gadgets, entretanto, estaria à mercê do crescimento do surto de Coronavírus.

Por fim, o analista acrescentou que, no âmbito geral, a comercialização de smartphones no mercado chinês caiu pela metade(!) durante o período do Ano Novo Chinês em relação a 2019. Considerando que estamos falando da China, uma possível queda de 50%-60% nas vendas pode ter efeitos catastróficos para as fabricantes, principalmente as locais.

Ontem (2 de fevereiro), comentamos que a Apple manterá fechadas suas lojas e escritórios na China até o dia 9 de fevereiro em decorrência do surto. Na semana passada, a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou a epidemia uma emergência de saúde pública global.

Posts relacionados

Comentários