Apple Pay representa 5% das transações globais de cartões; número poderá subir para 10% em 2025

O Apple Pay é um dos serviços da Apple que mais cresce, e sua expansão (seja para novos territórios ou de recursos) continua. Abaixo, um apanhado das últimas notícias envolvendo o serviço de pagamentos móveis da Maçã.

Publicidade

Negociações em Israel

O site israelense Calcalist informou que a Maçã está em negociações para levar o Apple Pay ao país.

Segundo a publicação, representantes da empresa iniciaram recentemente uma rodada de reuniões com bancos e empresas de cartões de crédito para formular os acordos. Muitas empresas israelenses adotaram recentemente o padrão EMV, o qual permite que tais cartões sejam utilizados em smartphones com a tecnologia NFC1.

O grande problema, segundo a publicação, é a taxa cobrada pela Apple, estimada em 0,15-0,25% de qualquer transação feita pelo ‌Apple Pay‌. Isso representa algo entre um terço e um quarto da receita do emissor do cartão de crédito com a transação, o que eles classificaram como “desproporcional, uma exploração do status e poder [da Apple]”.

Publicidade

Veremos como as coisas evoluem por lá.

Exportação de dados do Apple Card

Recentemente, nós informamos que o Apple Card passou a permitir a exportação dos dados de transações no formato CSV, e que em breve o OFX passaria a ser suportado. Pois esse suporte já foi implementado pela Apple, permitindo a exportação dos dados nos dois formatos.

Exportando dados do Apple Card em OFX

Para realizar a operação, os usuários só precisam checar seu extrato do Apple Card, selecionar um mês específico e tocar na opção “Exportar Transações”; imediatamente, a planilha será salva no seu dispositivo com todos os dados pertinentes.

Além de ter seus dados registrados em texto, os formatos permitem que usuários importem suas transações do Apple Card diretamente para aplicativos de controle financeiro — o que é ótimo, afinal, por mais que a interface de gastos nativa do Apple Card seja extremamente intuitiva, ela não cobre os gastos com todos os seus cartões. Agora, usuários poderão reunir tudo sob o mesmo guarda-chuva e cuidar das finanças mais facilmente.

Publicidade

Por enquanto, o Apple Card continua limitado aos EUA.

Previsão de crescimento

Um novo estudo da Juniper Research sobre o mercado de pagamentos trouxe boas notícias para a Apple. Segundo a empresa, as transações sem contato atingirão quase US$6 trilhões em 2024, contra US$2 trilhões em 2020 — muito impulsionadas pelos novos cartões contactless que estão sendo emitidos nos EUA.

Publicidade

Ainda assim, o Apple Pay está muito bem posicionado. De acordo com a pesquisa, o sistema de pagamentos móveis da Apple terá uma participação de 52% nos valores das transações em 2024, bem acima dos 43% de 2020. A expansão da base de usuários da Apple Pay em regiões importantes, incluindo Extremo Oriente, China e Europa, impulsionará essa crescimento.

Já os analistas da Bernstein soltaram uma nota informando que o Apple Pay é responsável atualmente por aproximadamente 5% das transações globais de cartões, e deverá abocanhar cerca de 10% até 2025 — informou o Quartz.

Quem mais sofre com esse crescimento do Apple Pay, segundo os analistas, é o PayPal — não é à toa que o próprio Tim Cook costuma comparar os números dele com os do PayPal nos resultados financeiros da Maçã. Recentemente, o CEO disse que o volume de transações da Apple Pay está crescendo 4x mais rápido que o do PayPal, enquanto o crescimento de novos usuários também está superando o do concorrente.

via MacRumors: 1, 2; Apple Word Today, 9to5Mac

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…