Após ser processado, fundador da NUVIA afirma que a Apple tem contratado seus funcionários

O imbróglio entre Apple e NUVIA (na verdade, com um dos seus fundadores) ganhou mais um capítulo. Antes, porém, vamos resumir tudo o que já aconteceu.

Publicidade

Alguns ex-executivos da Apple criaram uma empresa para desafiar os chips da Intel e da AMD. A Apple não ficou feliz com isso e processou o CEO da empresa, Gerard Williams III, acusando-o de quebra de contrato — segundo a empresa, ele era proibido, à época da criação da NUVIA, de “planejar ou participar de qualquer atividade comercial competitiva ou diretamente relacionada aos negócios ou produtos da Apple”.

O executivo tentou barrar o processo citando uma lei da Califórnia a qual permite que trabalhadores estabeleçam novos negócios enquanto trabalham em outros locais, mas esse argumento não foi suficiente para convencer a Corte Superior do Condado de Santa Clara.

Pois agora Williams tem novas reclamações contra a Maçã. Como informou a Bloomberg, ele afirma que a Apple tentou impedir sua empresa de contratar seus engenheiros enquanto simultaneamente recrutava funcionários da NUVIA. No processo, ele diz que a ação da Apple foi desenvolvida para “sufocar a criação de novas tecnologias e soluções por um novo negócio e diminuir a liberdade dos empreendedores de procurar um trabalho mais gratificante”.

Publicidade

Williams, que passou quase uma década na Apple, disse que levantou a possibilidade de desenvolver essa tecnologia (chips para alimentar servidores na nuvem) anos atrás, mas a idéia foi rejeitada pelo então CEO Steve Jobs e por Johny Srouji, que agora é o chefão de tecnologias de hardware — eles acharam que isso poderia prejudicar o foco da empresa no mercado consumidor.

Williams disse ainda que, após abrir a NUVIA, Sribalan Santhanam (vice-presidente de engenharia de silício da Apple) o alertou sobre possíveis consequências se a startup continuasse contratando engenheiros da Apple. Santhanam teria dito que a Maçã monitorou suas conversas com os funcionários e que o departamento de recursos humanos usou uma “campanha pesada” para impedir que as pessoas conversassem com Williams.

No mais, Williams também disse que a Apple fez de tudo para que ele desistisse da ideia de sair da empresa para abrir a NUVIA, incluindo uma oferta (feita por Srouji) para um período sabático, remunerado, de seis meses. O executivo não aceitou e, em sua festa de despedida, ganhou um iPad com assinaturas dos principais executivos da Apple, de acordo com os últimos documentos do processo.

Parece que essa história ainda vai render…

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…