De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o risco de pandemia do Coronavírus (COVID-19) está cada vez mais próximo, uma vez que o vírus já se espalhou para mais de 100 países, contaminando mais de 100 mil pessoas em todo o globo. As informações são do Poder 360.

Enquanto os efeitos do surto da contaminação na China vão reduzindo gradativamente (a exemplo do registro de novos casos), a Apple está tendo que concentrar suas medidas de segurança em alguns países da Europa e nos Estados Unidos, onde novos casos são registrados diariamente.

Eventos com mais de 1.000 pessoas suspensos na Califórnia

O Departamento de Saúde Pública do Condado de Santa Clara (que inclui cidades como Cupertino, Palo Alto, Mountain View e San Jose) emitiu, nesta semana, uma ordem obrigatória a qual exige que todas reuniões/eventos com 1.000 ou mais pessoas sejam canceladas. A determinação vem depois da primeira morte por Coronavírus na região.

A nova medida foi anunciada após o Condado de Santa Clara já ter emitido um outro comunicado na semana passada, o qual recomendava às empresas que seus empregados trabalhassem de casa.

Este é um momento crítico no crescente surto de COVID-19 no Condado de Santa Clara. As fortes medidas que estamos tomando são projetadas para retardar a propagação da doença. As novas recomendações reduzirão o número de pessoas que desenvolvem doenças graves e ajudarão a impedir que nosso sistema de saúde fique sobrecarregado. Isso é extremamente importante para qualquer pessoa com necessidades de saúde, não apenas para aqueles mais vulneráveis a doenças graves do COVID-19.

A restrição de três semanas durará até o início de abril, mas há algum tempo empresas de tecnologia vêm cancelando seus grandes eventos, como Facebook e Google — inevitavelmente, eles seriam cancelados com essa restrição mais recente.

A Apple ainda não fez nenhum anúncio sobre a WWDC 2020, que normalmente é realizada em junho no McEnery Convention Center (em San Jose). Ou seja, a companhia não precisa cancelar nada — já que nada foi anunciado. Contudo, com a preocupação crescente com relação ao vírus, pode ser que a Maçã anuncie, pela primeira vez, que o seu evento para desenvolvedores acontecerá de forma totalmente virtual.

Licença médica “ilimitada” para funcionários

Além de permitir que os funcionários trabalhem de casa, a Apple também disse a seus colaboradores de varejo que está oferecendo uma “licença médica ilimitada” para aqueles que apresentarem sintomas do COVID-19.

Isso significa que os funcionários da companhia não precisam enviar uma nota médica caso estejam com sintomas do Coronavírus, para solicitarem um tempo de folga.

Não se sabe, entretanto, se a medida é válida apenas para os colaboradores da Maçã nos EUA ou em qualquer operação da companhia ao redor do mundo.

Funcionário testa positivo para COVID-19

Um funcionário da empresa, em Cork (Irlanda) testou positivo para a COVID-19 e está em isolamento. Por isso, a companhia está realizando uma “limpeza profunda” nos seus campi irlandeses.

Normalmente, cerca de 6.000 pessoas trabalham nas instalações da Apple em Cork. O local abrange vários departamentos, incluindo marketing, pesquisa de produtos e AppleCare.

Fechamento e reabertura de lojas

Enquanto as atividades da Apple na China são retomadas gradativamente, em outros locais do globo elas estão seguindo o caminho oposto: a companhia reduziu recentemente o horário de funcionamento em mais lojas físicas em algumas cidades italianas.

Itália

A Itália está entre os países europeus mais atingidos pelo surto do Coronavírus. Por lá, o número de mortes subiu de 366 para 463 — trata-se do segundo maior número de mortes, atrás apenas da China, onde 3.123 mortes foram registradas até o momento.

A preocupação fez com que o governo italiano e as empresas privadas, como a Apple, adotassem novas medidas de segurança, como a restrição do horário de funcionamento de lojas em Bérgamo, Florença, Milão e Veneza.

Com isso, a Apple Campania, a Apple I Gigli, a Apple Nave de Vero e a Apple Oriocenter (todas localizadas dentro de shoppings) já estão funcionando em horário reduzido, e nos dias 14 e 15 (sábado e domingo próximos) estarão fechadas para o público.

China

Ao contrário do que está sendo feito na Itália, a Maçã voltou a reabrir algumas de suas lojas na China que foram fechadas temporariamente devido ao surto do Coronavírus por lá. Mais precisamente, a companhia tem 42 lojas na China e 38 delas estão abertas novamente — várias, no entanto, ainda funcionando em horário reduzido.

Isso significa que ainda há quatro lojas fechadas: três delas estão em Tianjin e uma em Suzhou. Um porta-voz da empresa não comentou o motivo para manter essas quatro lojas fechadas, como divulgado pela CNBC.

·   •   ·

Como noticiamos, a Apple divulgou ontem um guia de limpeza para usuários desinfectarem seus dispositivos — que vale para qualquer lugar do mundo e não só para combater o Coronavírus, uma vez que nossos gadgets estão constantemente em contato com superfícies/objetos diversos.

via Fox KTVU, 9to5Mac, Echo Live, AppleInsider, Patently Apple

Atualização, por Rafael Fischmann 11/03/2020 às 15:28

De acordo com Mark Gurman, da Bloomberg, a Apple decidiu agora fechar todas as suas 17 lojas físicas na Itália a partir de amanhã, até segunda ordem.

A empresa afirmou que continuará “monitorando a situação” e oferecendo suporte para todos os seus consumidores italianos por telefone ou online.

Agora há pouco, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou uma pandemia do Coronavírus.

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários