Coronavírus: cultura de segredo da Apple atrapalha trabalho remoto; empresa define regras para apps sobre o COVID-19

Campus da Apple em Cupertino

Há alguns dias, noticiamos que Tim Cook enviou um comunicado aos empregados da Apple recomendando a todos os que puderem que trabalhem de suas casas — a fim, é claro, de evitar contato desnecessário com outras pessoas e potencializar a disseminação do Coronavírus (COVID-19).

O problema, segundo uma reportagem do Wall Street Journal1, é que a famosa “cultura do segredo” da Apple basicamente impede o trabalho remoto para grande parte dos empregados que estão envolvidos em projetos especiais e afins.

A Apple tem políticas bastante rígidas com relação à retirada de arquivos secretos dos Macs de seus campi, portanto muitos empregados têm dúvidas do que podem ou não fazer de suas casas. Além disso, vários deles já têm reclamado de lentidão no acesso remoto a documentos, dificultando a realização de tarefas.

Sendo assim, vários engenheiros e designers por ora estão ainda preferindo ir aos escritórios da empresa para que consigam fazer seus trabalhos. Alguns, em contato com executivos, afirmaram que algumas flexibilizações já começaram a ser feitas de maneira a “reduzir a densidade de pessoas” nos campi.

Regras para apps sobre o COVID-19

Também já havíamos coberto aqui no site que a Apple passou a só aceitar apps relacionados ao COVID-19 de fontes confiáveis, como governos, órgãos de saúde, empresas especializadas, hospitais e afins.

Ontem à noite, a empresa publicou uma nota bem clara no portal Apple Developer detalhando e reiterando essas regras. Ela afirma, por exemplo, que jogos ou apps de entretenimento que tenham o vírus como temática não serão aceitos na loja.

Aos desenvolvedores que se enquadrarem nas regras, a Apple pede também que marquem a opção de envio urgente no App Store Connect para que o processo de revisão seja feito de forma mais ágil do que o normal.

Lojas ainda parcialmente abertas

Embora a Apple tenha determinado o fechamento de todas as suas lojas fora da China até pelo menos o dia 27 de março, algumas localidades continuam parcialmente abertas para realizar entregas de produtos adquiridos via Personal Pickup, realizar certos atendimentos marcados e, é claro, deixar os clientes informados da nova política.

Obviamente, como notou o MacRumors, mesmo nesses casos a Apple já reduziu drasticamente a quantidade de staff nessas lojas e é bem possível que elas encerrem completamente suas operações até amanhã (16/3).

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…