Hackers invadem Safari e recebem US$70 mil em primeira edição online da Pwn2Own Foi o maior prêmio entregue nos dois dias de competição

Safari no Dock do Mac

Leitores do MacMagazine certamente conhecem (ou ao menos já ouviram falar) da Pwn2Own, a maior competição hacker do mundo — e que distribui prêmios deveras generosos aos competidores que explorem brechas e invadam softwares e sistemas operacionais com sucesso.

Pois em 2020, em meio à pandemia do Coronavírus (COVID-19), o evento não deixou de ocorrer — mas, pela primeira vez, ele foi realizado de forma totalmente remota, com cada competidor trabalhando confortavelmente da sua casa. Os prêmios, claro, foram distribuídos normalmente, e os hackers ganharam mais de US$180 mil na contagem geral.

Como tem sido comum nos anos recentes, o navegador Safari foi uma das vítimas dos grupos invasores: no primeiro dia de competição, uma equipe de hackers do laboratório de software e segurança da Georgia Tech conseguiu obter acesso ao browser da Maçã por meio de uma corrente de seis bugs, originadas do próprio kernel do macOS. Pelo feito, o time recebeu o prêmio máximo da competição, de US$70 mil.

Naturalmente, o Safari não foi a única vítima dos intrépidos hackers: outras equipes conseguiram “quebrar”, também, sistemas como o Ubuntu e o Windows, além da Oracle Virtualbox. Todas as brechas, claro, foram imediatamente relatadas às respectivas fabricantes para correção.

via ZDNet

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários