iPhone e luzes de microLED

Em meados de 2019, comentamos um investimento multimilionário da Apple na fabricante Japan Display Inc. (JDI), a qual tem enfrentado maus bocados nos últimos anos. Em síntese, a Maçã ajudou a empresa com US$1,5 bilhão para a construção de uma fábrica em 2015, seguido por um investimento de US$100 milhões no ano passado.

As dívidas da fabricante de displays não acabaram por aí: em janeiro, a empresa teria recebido um resgate de US$925 milhões, no entanto esse acordo não foi finalizado, segundo ela. Tudo isso é consequência das 11 perdas trimestrais consecutivas que a JDI enfrentou, além de problemas internos com desvio de dinheiro, entre outros.

O fato é que, agora, a empresa afirmou que um “cliente no exterior” investiu nela outros US$200 milhões, conforme divulgado pela Reuters. Segundo a publicação, apesar de a JDI não especificar quem foi esse financiador, há fortes indícios de que tenha sido a gigante de Cupertino.

A [Japan Display] anunciou que finalizou e celebrou o contrato com um cliente para transferir uma parte do equipamento na fábrica de Hakusan. A cessionária é uma empresa estrangeira que é uma das principais clientes da JDI. No entanto, devido a um contrato de confidencialidade que a JDI mantém com a cessionária, detalhes sobre o acordo não puderam ser divulgados.

Como a fabricante ainda deve à Apple mais de US$800 milhões pelo financiamento bilionário na construção da fábrica, o fundo poderá ser usado em um novo refinanciamento das dívidas, segundo a Reuters.

Samsung encerrando produção de LCDs

Em uma notícia relacionada, a Samsung, principal fornecedora de telas para iPhones, iPads e Macs, anunciou que planeja encerrar a produção de displays de LCD1 “convencionais” até o fim deste ano. As informações também são da Reuters.

O que isso significa é que a empresa investirá na fabricação de “displays de pontos quânticos”. Esse tipo de tecnologia é baseada nas telas LCD, porém com várias melhorias na emissão de luz. Ou seja, os LCDs não acabarão, mas adotarão novas tecnologias, como adição de tubos ou filmes quânticos sobre seus LEDs2.

Segundo uma porta-voz da Samsung, a empresa continuará fornecendo displays de LCD (com a tecnologia atual) até o fim deste ano “sem problemas”. Porém, a partir de 2021, suas duas fábricas de LCDs encerrarão suas operações como parte da nova empreitada da companhia.

Como sabemos, somente o iPhone 11 utiliza displays de LCD na linha de dispositivos atual da Maçã, sendo que a companhia iniciou a migração para o OLED3 com o iPhone X, em 2017.

Sobre iPads e Macs, rumores sugerem que a gigante de Cupertino migrará para a tecnologia de Mini-LED em breve, podendo reduzir ainda mais sua dependência do LCD; caso o rumor não se concretize, ela poderia utilizar esses novos LCDs mais avançados da Samsung ou até mesmo utilizar componentes de outra fornecedora, como a LG.

via iMore, The Verge

Posts relacionados

Comentários