Se você usa o Facebook, então deve estar acostumado também com o Messenger, o mensageiro universal da plataforma. Contudo, desde 2017, a rede social também possui uma versão do app específica para crianças (de 6 a 12 anos), as quais podem usufruir dos recursos do serviço com uma camada extra de proteção e segurança.

Até agora, o Messenger Kids estava disponível somente nos Estados Unidos; mas, devido à suspensão de aulas ao redor do mundo — consequência da pandemia do Coronavírus (COVID-19) — e ao fato de que centenas de milhares de crianças estão em casa, o uso de apps de comunicação aumentou expressivamente.

Messenger Kids no iPhone

Pensando nisso, o Facebook anunciou o lançamento do Messenger Kids em mais de 70 países, como o Brasil, além da implantação de novos recursos, os quais serão disponibilizados gradativamente tanto para iOS quanto para Android.


Ícone do app Messenger Kids

Messenger Kids

de Facebook, Inc.

Compatível com iPadsCompatível com iPhones
Versão 124.0 (225.1 MB)
Requer o iOS 10.0 ou superior

O primeiro novo recurso, chamado “Amizade supervisionada”, será lançado inicialmente nos EUA. Precisamente, ele permite que uma criança aceite, rejeite e gerencie contatos — algo que antes necessitava obrigatoriamente da aprovação dos pais. Vale lembrar que isso é algo opcional e, caso ativado, os pais serão notificados de quaisquer alterações feitas, podendo revertê-las.

A segunda novidade permite que os pais deem aprovação a outros adultos (como professores) para adicionar seus filhos a grupos de conversa. Ademais, se a conta de uma criança estiver vinculada a um tablet compartilhado, poderá participar dos grupos familiares e conversar com qualquer membro por texto/vídeo.

Grupos no Messenger Kids

Por fim, o terceiro recurso — já disponível nos EUA, no Canadá e na América Latina — permite que pais tornem o nome e a foto do perfil de seus filhos visíveis para um círculo específico de usuários.

Em seu anúncio, o Facebook disse que os novos recursos foram desenvolvidos com ajuda dos Youth Advisors, um grupo especializado em desenvolvimento infantil, mídia e segurança online. Em se tratando de Facebook, porém, a preocupação quanto à privacidade do seu filho se expande para a própria plataforma; sendo assim, é importante ter em mente que a rede social poderá coletar dados das crianças e dos pais — como visto na política de privacidade do serviço.

via VentureBeat

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários