O novo iPhone SE foi oficialmente lançado há alguns dias e, a essa altura, nós já conhecemos uma infinitude de características do novo smartphone de entrada da Maçã — mas ainda falta aprofundar em alguns detalhes, a exemplo da câmera.

Como visto no desmonte da iFixit, o novo iPhone SE utiliza um sensor idêntico ao do 8. Ainda assim, o pós-processamento do primeiro é melhor que o do segundo devido ao chip A13 Bionic e novos algoritmos.

De fato, o novo iPhone SE é o primeiro aparelho da Apple que consegue gerar um efeito de profundidade (nas imagens do Modo Retrato) usando apenas técnicas de software, com ajuda de ML1, de acordo com uma nova análise publicada pelo pessoal do Halide, o proeminente app de fotografia.

Vamos aos pormenores: se a câmera do novo iPhone SE e a do 8 são iguais, por que este último não consegue criar imagens com profundidade? Segundo os desenvolvedores do Halide, a câmera do dispositivo recém-lançado pode fazer mais pois ela usa uma “estimativa de profundidade monocular” a partir de imagens 2D.

Parte traseira do novo iPhone SE
📷 Pocketnow

Além disso, muitos certamente argumentarão que o iPhone XR também possui apenas uma câmera e consegue fazer imagens com o Modo Retrato, o que não faria do novo SE um vanguardista nessa área. Entretanto, como salientado na análise dos desenvolvedores, o XR não gera as imagens com profundidade exclusivamente por software — há, sim, uma ajuda do hardware da câmera nesse processo.

Eles descobriram ainda que, ao contrário de outros iPhones, o novo SE pode criar um mapa de profundidade a partir de uma imagem de outro foto já tirada — algo que o app Halide consegue rastrear ao usar o Modo Retrato embutido.

Modo Retrato em uma foto antiga

Por outro lado, o Modo Retrato do novo iPhone SE é um pouco limitado, pois funciona apenas com pessoas (semelhantemente ao iPhone XR); algo que está relacionado com a rede neural que alimenta o recurso.

Precisamente, quando uma imagem no Modo Retrato sem uma pessoa é capturada, o aparelho falha em criar um mapa de profundidade pois não reconhece com precisão o formato do objeto da imagem — a foto a seguir foi tirada usando o Modo Retrato interno do Halide, que expande essa opção nos iPhones SE e XR.

Modo Retrato no iPhone SE e no iPhone 11 Pro
Esquerda: iPhone 11 Pro | Direta: novo iPhone SE

Por fim, o mais interessante é que, à medida que o aprendizado de máquina da Apple melhora, o Modo Retrato poderá expandir-se para ainda mais dispositivos — até mesmo, quem sabe, para a câmera traseira de iPads.

Caso lhe interesse, vale a pena conferir a análise do scanner LiDAR dos novos iPads Pro feita, também, pelos desenvolvedores do Halide.

via The Loop

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários